Vira o disco e toca o mesmo

29/01/2014 00:29 - Modificado em 29/01/2014 00:29
| Comentários fechados em Vira o disco e toca o mesmo

Carlos_Delgado_Deputado_PAICVEm pleno séc. XXI a viagem entre estas duas ilhas tem a mesma duração que fazia o Carvalho e o Gavião dos Mares na década de 60 do século passado, uma hora. Ou seja : o disco das reclamações sobre Santo Antão ta velho de tanto voltar e tocar o mesmo … Sem solução

 

O deputado do PAICV, Carlos Delgado, levou para o parlamento os problemas de Santo Antão, que dominou o período antes da ordem do dia. Retractou um quadro que evidencia que a ilha precisa de mais atenção em diversas áreas para ajudar no seu desenvolvimento. Essas mesmas preocupações tiveram eco nas bancadas do PAICV e da UCID que mostraram solidários com a ilha de Santo Antão.

Delgado incidiu sobre a ligação marítima entre Santo Antão e São Vicente e sobre o turismo. Para este deputado se querem ter uma ilha competitiva tem que ter transportes que dão confiança e não fazem apenas varias viagens mas devidamente programadas e com horários fixos. Ainda sobre a ligação marítima evidenciou que “milhares de passageiros mensalmente com apenas dois navios com obsoletos com horários que não dão confiança aos passageiros e empresários”.

“Em pleno séc. XXI a viagem entre estas duas ilhas tem a mesma duração que fazia o Carvalho e o Gavião dos Mares na década de 60 do século passado, uma hora”, ressaltou Delgado.

E pede intervenção do governo para regular está linha. “Estas medidas deviam passar pelo alargamento do porto que deveria permitir a acostagem de navios de longo curso, a construção do aeroporto de Santo Antão como forma de incrementar e aumentar o turismo, sublinha Delgado”

Arlindo do Rosário, do MpD, num tom mais críticos afirma que “como é possível que se faça um porto que acabou de ser inaugurado e que não tenha condições para melhorar na área do turismo, porque não consegue receber navios cruzeiros de grande porte”. É que tanto Delgado como Rosário acreditam que a melhoria do porto, do Porto Novo, seria um motor para melhorar o turismo na ilha.

António Monteiro, da UCID, diz que não se consegue acostar dois navios no porto. Por isso gostaria de “ver esta situação resolvida”, tendo como objectivo dar boa imagem aos turistas.

 

Ainda na sessão parlamentar

A plenária aprovou por unanimidade, e na generalidade, a Proposta de Lei que estabelece o regime jurídico das operações urbanísticas, designadamente o loteamento, a urbanização, a edificação e a utilização e conservação de edifícios. Mas o MpD e a UCID têm ainda algumas questões em relações alguns pontos que poderá demorar a aprovação na especialidade.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.