Belarmino Lucas: “os sindicatos não têm razão”

16/01/2014 07:39 - Modificado em 16/01/2014 07:39

belarmino lucasA manifestação do dia 20 de Janeiro é vista pelo patronato como “um exercício normal de uma prerrogativa constitucional: o direito à manifestação”.

 

Belarmino Lucas, presidente da Câmara de Comercio de Barlavento (CCB), relativamente aos aspectos que de alguma forma atingem o sector privado, como a proposta do novo código laboral e do regime especial das micro e pequenas empresas diz que entende que os “sindicatos não têm razão”. E que “as propostas em causa são instrumentos importantes e essenciais para a competitividade do país e também extremamente importantes para a criação de novos empregos em Cabo Verde”.

 

Explica que a preocupação não se restringe apenas às pessoas que “têm a sorte” de estarem empregadas neste momento, mas também às que estão desempregadas. “Temos de fazer o possível para criar mais postos de trabalho”, sublinha Lucas, e acrescenta que tudo o que vai nesse sentido “tem o apoio do sector privado”. E no seu entender, o novo código laboral e o regime das pequenas e micro empresas “são instrumentos necessários para criar mais emprego”.

 

E no caso dos sindicatos conseguirem os seus objectivos, acredita que isso afectaria de forma directa o sector privado. Apesar do empresário privado não estar obrigado a dar os aumentos salariais que o Estado decide, para o presidente da CCB, “acaba por surgir sempre como uma baliza que os funcionários tendem a fixar como expectativa”. E, de alguma forma, criaria um clima de agitação social que iria afectar os trabalhadores dentro das estruturas privadas.

 

Ainda sobre a reivindicação de aumentos salariais diz que não é algo que tem vida própria mas “tem de acompanhar a dinâmica da economia e se a economia não melhora, não pode haver melhoria de salários”. Para Belarmino Lucas, tem havido uma degradação visível e permanente das empresas mas os salários continuam no mesmo nível. E sente que as empresas “têm dificuldade em gerar fluxo financeiro suficiente para cumprir com as suas obrigações”.

 

Neste sentido, apela ao “bom senso das partes envolvidas” para que possam pensar naquilo que é o país e as suas reais condições. E também pensar “não só naqueles que têm trabalho, mas também naqueles, e são muitos, quase 20 por cento em todo o país e, particularmente, São Vicente que nem sequer tem conseguido aceder ao mercado do trabalho”.

 

Para Belarmino Lucas, tem-se conseguido chegar a alguns consensos como a questão do salário mínimo. “Os empregadores têm dado provas de grande flexibilidade e não se têm visto acções dos empregadores que, no entanto, têm muitas e substanciais razões de queixa do actual ambiente”, diz o presidente da CCB que acrescenta que o sector privado tem optado pelo diálogo e consenso “em nome do interesse supremo do país e da economia”.

 

E acredita que acções do género podem colocar em risco os consensos atingidos anteriormente e dá como exemplo a ameaça da UNTC-CS em sair do acordo de concertação estratégica. “Quando os sindicatos ameaçam sair do acordo fica claro que estão a pretender atirar tudo ao ar, todas as conquistas que têm feito até agora em matéria de diálogo social”.

  1. Carlos Silva - Ralao

    Entendo que a situacao economica do pais e’ dificil e nesta
    conjuntar e’ complicado atribuir aumentos, mas infelizmente o
    governo tambem aumentou drasticamente o IVA na energia e agua e
    outros, e sem aumento de salario a maioria das familias viu as suas
    condicoes degradadas. Quem tem salarios superiores a 100 mil
    escudos e ja com casa propria, e outras ostentacoes e mordomias nao
    sente a crise que mais de 90% esta’ passando. A riqueza em Cabo
    Verde esta na mao de poucos.

  2. prof

    Ainda bem que estádo nosso lado Sr Ralão. Pois só os camaradas do governo acreditam neste PCCs , e este PCCS vai causar mais desemprego , instabilidade, e criminalidade no seio da Juventude.

  3. androlinio caboceiro

    a tal medida do governo visa apenas fabricar os novos ricos da área do poder e permitir a preservação da riqueza dos patronos, construída com suor dos trabalhadores, já agora alargados na rua da amargura por essa tal lei do governo mais thug do que qualquer thug de rua.

  4. Mandinga

    Oh Sr Dr Belarmino, o Sr. Dr. realmente acredita que com estas medidas irá aumentar o consumo das famílias (q não têm dinheiro), que irá empregar mais pessoas (se as empresas não têm dinheiro) e não irão conseguir se os trabalhadores não conseguirem estabilizar as suas contas para poder consumir o que o privado produz? Acredita que o investidor externo irá investir mais em CV se puder livrar – se do trabalhador mais facilmente? Ou irá investir num país em que quer os nacionais quer os turistas t

  5. Mandinga

    têm capacidade de adquirir os bens e serviços que oferece. Não seja ingênuo ao pensar que por facilitar o despedimento/ contratação de trabalhadores irá resolver o problema do desemprego. O país necessita de um sector privado forte mas também que o sector público diminua a sua influência na Economia em todos os aspectos. A dia de hoje 99% da população trabalha para pagar os seus compromissos, e os empresários? E o Governo? E as empresas públicas?

  6. Joao Pina

    Nos todos estamos a par da situacao economica do pai’s, A electricidade e agua, bens necessarios, houve aumento. Como sabemos a inflacao esta’ sempre presente, entre outros aumentos, fazem com que o mesmo salario 4 anos atras nao seja o mesmo hoje.
    Logo deve-se aumentar quem ganha 60 contos ou menos, porque os que ganham mais do que esse valor nao sentirao tanto.

    Essa sera’ uma forma de atenuar o problema.

  7. Djubencio

    É certo que a situaçao económica é difícil, mas resultado das políticas erradas do governo.

  8. MPD

    o Dr Belarmino lucas tem toda a razão, vocês são cambadas de ignorantes não percebem nada de economia, so querem ganhar dinheiro e pronto, trabalhar com responsabilidade e zelo e com produção não querem

  9. Domingos neves

    Oi Maltas,
    Não devemos e podemos ouvir e muito menos acreditar no que diz o Sr. Dr.Lucas. porque
    ele sabe que é tudo mentira. Mas só que há uma diferença ele ganha duas vezes:na CCB
    como representante dos PATROES e como advogado.Portanto para ele tudo está conforme.
    Haja Paciência

  10. Neves

    Eu acho que há razões de sobra para manifestação e até mesmo greve geral. Agora numa parte eu concordo contigo – Os sindicatos, não é que não tem razão, mas eles parecem muito confusos nos seus argumentos e fundamentos. Em termos financeiros e económicos, nem se fala, porque os sindicatos não dominam sequer os conceitos básicos. Passam a vida a falar de direitos, direitos aí, direitos acolá, dinheiro por aí, salários por lá, etc., esquecem que há muitos trabalhadores malandros, preguiçosos e mamadores em Cabo Verde, que não cumprem com os seus deveres também!
    É verdade que existe muita injustiça social em CV, muita discrepância salarial, pobreza extrema, problemas habitacionais bastantes precárias, etc., e exactamente por isso é que nós devemos ir protestar no dia 20. Mas por outro lado temos de admitir que em termos orçamentais e de sustentabilidade económica o Governo não pode nunca cair nas cantigas dos sindicatos, porque senão seria pior!

  11. joao

    Esse dirigente associativo aparece na cena como atirador furtivo aos trabalhadores e seu representantes o que em nada abona o bom nome da instituição que representa! Na vida devemos correr atras de consensos e não de descensos.

  12. joao

    Os trabalhadores não têm culpa do desastre da vida laboral, havendo certos actores que já apontaram como responsáveis o Ministério das finanças e a sua politica fiscal; a gestão danosa e corrupção acentuada nas empresas publicas e privadas que fazem descontos aos trabalhadores e não envia ao INPS!

  13. joao

    Os trabalhadores não têm culpa do desastre da vida laboral, havendo certos actores que já apontaram como responsáveis o Ministério das finanças e a sua politica fiscal; a gestão danosa e corrupção acentuada nas empresas publicas e privadas que fazem descontos aos trabalhadores e não os envia ao INPS!

  14. joao

    Os trabalhadores vão a rua porque os decisores tem feito orelhas moucas as reivindicações justas dos seus representantes!

  15. joao

    cheira a negociata em troca de favores recebidos pelo governo para testar desmobilizar os trabalhadores da Regeao de Barlavento
    Nho ka ta manda na trabadjadores e ses representantes!
    Arranje limao para chupar no proximo domingo

  16. joao

    …60 por cento dos problemas que os empresários enfrentam estão concentrados no Ministério das Finanças e Planeamento….frase ki skapa, sr scapa di boka!
    Afinal di kem é a culpa??????

  17. Mario Dias

    Este b… palhaço é mais um daqueles que está à solda dos graudos para manterem as suas barrigas cheias mas 2016 aproxima.

  18. Paulo Gomes

    Este já tem o futuro garantido.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.