Zezinho Catana confessa ao filho de Alice que “a matou, mas que não sabe dos restos mortais”

8/01/2014 00:10 - Modificado em 8/01/2014 00:11

Alice1Adilson, filho de Alice Reis, afirmou que Zezinho Catana lhe confessou ter morto a cidadã no mês de Julho de 2012, mas que não se recorda onde enterrou os restos mortais. O filho de Alice assegurou que a confissão de Catana surgiu durante um processo de acareação com o suspeito, requerido pelo Departamento da Polícia Judiciária de São Vicente.

 

Num exclusivo da RCV, Adilson, filho de Alice dos Reis, cidadã desaparecida cujas suspeitas apontam que foi assassinada por Zezinho Catana, afirmou que a PJ o solicitou para fazer uma confrontação, de olhos nos olhos, com o suspeito. Com esta técnica jurídica, a Polícia Judiciária pretendeu que Zezinho Catana se pronunciasse sobre factos relacionados com o desaparecimento de Alice dos Reis, bem como descobrir o paradeiro dos seus restos mortais.

 

Confissão

 

“Acedi ao pedi da PJ porque queria ajudar na descoberta dos restos mortais da minha mãe. Sentaram-nos frente a frente numa sala e questionei-lhe sobre a morte da minha mãe, sublinhando que a família apenas quer saber dos restos mortais para lhe fazer um funeral digno. Foi difícil conversar com ele, mas acabou por confessar que matou Alice, mas que não se recorda onde enterrou os restos mortais”, sublinha Adilson.

 

O filho de Alice confessa que foi difícil ouvir Zezinho Catana dizer que foi o autor da morte da sua mãe. A confissão de Zezinho foi feita na presença de dois inspectores da Polícia Judiciária que acompanharam o processo de acareação. Dada esta situação, Adilson pede à PJ que faça as necessárias diligências com o suspeito, no sentido de localizar os restos mortais de Alice Reis.

 

Apelo

 

A viver dias de sofrimento e angústia, Adilson considera que se perdeu muito tempo para se tentar localizar o paradeiro dos restos mortais da mãe. E relembra que em 2012, a peixeira Maria D´Chandim, que no dia do desaparecimento de Alice dos Reis esteve com ela e Zezinho antes de ser assassinada em Agosto de 2012, tentou mostrar o local onde poderiam estar os restos mortais de Alice.

 

“Ela queria mostrar o local e até chegou a convidar um grupo de amigos e há pessoas que podem comprovar isso. Ela dirigia-se para as localidades de Fernando Pó e Ribeira Craquinha, mas pelo caminho desistiu de mostrar o local onde poderiam estar os restos mortais da minha mãe. Nada foi feito e depois de alguns dias, apareceu morta. Talvez ao pressionar Zezinho de que ia falar sobre o desaparecimento de Alice, este decidiu matá-la”.

 

Adilson pede à Polícia Judiciária que se empenhe no processo de investigação e que localize as ossadas da mãe. E acrescenta que “estamos à espera dos restos mortais e não para ver Zezinho transitar da Praia para São Vicente e vice-versa, sem dar pistas onde possam estar os restos mortais. Peço às autoridades que o façam falar, porque uma pessoa que mata dessa maneira, já não tem dor”.

  1. gilberto neves

    ga e tempo de decretar a presao defenitiva para catana porque ele ja matou vaeias veses

  2. armandosilva

    O mostro é um psicopata, tem lição bem estudada ao longo dos tempos que esteve preso, mas o seu ponto fraco que ele tem medo de castigo duro, por isso ele é um grande cobardo basta aplica-lo alguns murros nos ouvidos falará a verdade, assim como quando ele matou o José de Vina em Santo Antão, no ano de 1989. Eu trabalhei com ele, estava a falar mentiras, também quando revoltiou a cadeia da Ponta do Sol, ainda quando violou a avó dos seus irmõas Francisco e Pipi, em São Vicente. Eu conheço o psi

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.