Porto Novo: Rosa Rocha à procura da desforra de quando perdeu por cem votos

15/06/2012 06:34 - Modificado em 15/06/2012 06:35
| Comentários fechados em Porto Novo: Rosa Rocha à procura da desforra de quando perdeu por cem votos

A verdade é que Rosa Rocha , candidata do PAICV, a Câmara Municipal do Porto Novo, nunca digeriu a derrota que sofreu frente a Amadeu Cruz em 2004. Um derrota por apenas cem votos num fim de uma campanha eleitoral cheia de picardias. Por isso A reedição do “duelo” de 2004, entre Amadeu Cruz (MPD) e Rosa Rocha (PAICV), está a ser aguardado com alguma expectativa pelos 11 mil, 394 eleitores que, a 1 de Julho, serão chamadas às urnas no Porto Novo.

 

Nas eleições autárquicas de 2004, os dois candidatos à presidência da Câmara Municipal do Porto Novo dividiram, ao meio, o eleitorado portonovense, tendo o candidato do MpD conquistando a maioria relativa, com 49,8, dos nove mil, 946 eleitores. Em 2008 Amadeu alcançou a maioria absoluta defrontando Emiterio Ramos (PAICV) e António Fernandes (UCID), registando-se a vitória “ventoinha” por 54% dos votos.

Para as eleições autárquicas 2012, os dois partidos estão em campanha eleitoral já há várias semanas, com distribuição de panfletos, autocolantes e outros materiais de propaganda.

Nos últimos dois dias, ambiente aqueceu com a entrega da candidatura de Rosa Rocha de uma queixa-crime à Comissão Nacional de Eleições (CNE) Na base da queixa-crime, apresentada terça-feira, alegando a violação do Código Eleitoral, por parte da candidatura do MpD, quanto à colocação de cartazes na via pública e distribuição calendários do Euro 2012, com “mensagens apelativas ao voto”, antes da abertura da campanha eleitoral.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.