10 estratégias de otimismo para 2014

2/01/2014 16:58 - Modificado em 2/01/2014 16:58
| Comentários fechados em 10 estratégias de otimismo para 2014

feliz 2014Os otimistas vivem mais e com melhor qualidade de vida. Nada como começar a encher o ano novo de atitudes positivas, desde cedo. Deixamos-lhe algumas ideias que podem fazer a diferença.

 

Algumas atitudes positivas para 2014 podem ajudá-la a superar momentos de stresse físico e emocional mais facilmente e a melhorar a sua qualidade de vida e sentido de realização. Afinal, ser feliz é uma escolha que também depende de nós.

 

– Pratique a gratidão. Agradecer aos outros, a um poder superior, até a nós próprios, ajuda-nos a focar no que de bom nos acontece e a retirar o melhor da vida, em vez de remoermos nos aspetos menos bons da vida. Escreva um postal, um email, deixe bilhete na secretária de alguém que lhe fez bem nos últimos tempos. Faça uma lista de tudo aquilo pelo qual se sente grata e que lhe aconteceu em 2013.

 

– Passe mais tempo lá fora: Em contacto com a natureza, não com o monóxido de carbono. Mas 15 ou 20 minutos de sol numa esplanada já são suficientes para pôr o seu corpo a produzir vitamina D, que os cientistas acreditam influenciar os níveis de serotonina, o neurotransmissor responsável pelas sensações de bem-estar e com um papel importante na regulação do humor.

 

– Passe mais tempo com as crianças. Se não tiver filhos, reclame mais tempo com os sobrinhos, os afilhados, os irmãos mais novos, os filhos dos seus melhores amigos. As crianças têm a capacidade de nos lembrar que já fomos como elas e de reabilitar sorrisos que julgavamos coxos ou perdidos. Além disso, têm quase sempre visões muito mais inteligentes, simples e criativas sobre a vida.

 

– Livre-se das pessoas tóxicas. Esta é uma daquelas clássicas decisões de ano novo que raramente levamos em frente, até porque muitas vezes não temos como. Podemos não conseguir afastar um chefe tóxico ou um familiar que nos drena as energias, mas podemos escolher se nos vamos deixar afetar por eles e, em último caso, reduzir o tempo que passamos com pessoas que só nos drenam as energias e nos puxam para baixo. Rodeie-se, sim, de quem a inspira e incentiva a ir mais longe, a cuidar de si, de gente cuja companhia lhe dá prazer.

 

– Tire tempo para meditar: a meditação pode fazer maravilhas por si, a combater o stress, a baixar a tensão arterial, a encontrar o foco, mais paz e concentração.

 

– Cante e dance, que a vida são dois dias. O ditado “quem canta seus males espanta” tem mais de verdade científica do que poderiamos supor. Vários estudos provam como cantar e dançar ao som das nossas músicas preferidas podem ser formas bem eficazes, instantâneas e grátis de melhorar o humor.

 

Um estudo sueco seguiu 112 raparigas com problemas de ansiedade, stresse, depressão e dores nas costas e pescoço. Metade frequentou aulas de dança semanais e, como seria de esperar, melhorou bastante a sua saúde mental, registou mudanças positivas no humor e viu esses efeitos prolongarem-se durante oito meses após o fim das lições.

 

– Perdoe. É mais fácil dizê-lo do que seguir o conselho, até porque há coisas para as quais talvez não exista perdão. Mas fazer as pazes com o passado para não afetar o presente é uma das estratégias mais importantes dos otimistas. Reviver constantemente desgostos e rancores passados é o equivalente a subir uma montanha com uma mochila de pedras às costas. É preciso deixar o lastro pelo caminho para seguirmos viagem mais leves e mais depressa.

 

– Leia mais: Exercita a imaginação, a memória, a cognição, relaxa corpo e mente, abre-nos um admirável mundo novo a cada página, inspira-nos, faz-nos viajar sem sair do sítio, mas ainda pode ajudar a prevenir o declínio cognitivo de doenças como o Alzheimer e até ajudar-nos a dormir melhor. Os livros podem tornar-se excelentes companheiros em 2014.

 

– Desligue-se de vez em quando. A vida é lá fora! Escolha um dia por semana, por mês, e desligue-se da tomada. Dê folga às redes sociais, à Internet, ao telefone, nem que seja por algumas horas. Algumas pesquisas sociológicas recentes revelaram que passar demasiado tempo ligado às redes sociais pode fazer-nos sentir mais solitários e deprimidos.

 

– Ria mais: Deixe o disparate tomar conta, de vez em quando. Ria-se de si própria, não se leve demasiado a sério. Dê umas boas gargalhadas por dia, até porque estará a fortalecer o sistema imunitário (o stresse deita-o a baixo e o riso é o melhor antídoto para o stresse), a aumentar a circulação sanguínea e a melhorar a função vascular. Além disso, o seu cérebro produzir mais endorfinas, neuroquímicos com propriedades de alívio da dor e que trazem sensações de bem-estar físico.

 

 

 

activa.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.