Passagem de ano: A maioria dos mindelenses vai para a rua de Lisboa

31/12/2013 00:55 - Modificado em 31/12/2013 00:55

rua lisboaO NN quis saber onde é que as pessoas vão passar a meia-noite e o que é que vão fazer nessa noite. A maioria das pessoas prefere ir para a rua de Lisboa ouvir o grupo Kassav. Muitas pessoas reclamam que as festas de fim de ano estão muito caras e que este ano não podem fazer muitas despesas.

Marisia Miranda diz que acha que este ano não vai para nenhuma “festa deconvite: este ano vou para a rua de Lisboa, ouvir os Kassav, porque estou sem dinheiro para festas de convite e gosto muito desse grupo”. Para ela, este ano vai ser diferente “espero que seja uma boa passagem de ano, porque sempre estive com os meus amigos à meia-noite e este ano vou estar na Morada”. Marisia espera que os mindelenses sejam civilizados para que tudo corra bem.

Suzileida Nascimento, também não vai para nenhuma festa de convite, porque segundo ela, este ano não quer gastar muito “estou em contenção de despesas porque a vida está difícil” e o preço da festa não lhe agrada “pagar três mil escudos, para casal, numa festa de dois dias é muito. Aproveitamos o dinheiro e investimos noutra coisa que deixa mais falta”. Suzileida ainda não sabe se vai para rua de Lisboa depois da meia-noite ou se se vai deitar.

Diferente de Suzileida, Joselito Neves, vai para a sua festa do costume “vou para a festa da minha malta em Vila Nova, mas primeiro vou para a rua de Lisboa, ver os Kassav”.

Edilene Patríciaavança ao NN que este ano não vai para nenhum lugar: “este ano quero passar com a minha família, pela primeira vez, sem ir para nenhuma festa”. Ela afirma que quer poupar dinheiro, mas também que não tem “dinheiro para gastar em festas”.

O NN apurou que a maioria dos mindelenses este ano, não vai para festas de convite, mas sim para a rua de Lisboa para poupar dinheiro. Muitos lamentam-se que as festas estão muito caras.

 

  1. CidadaoCV

    Não é que as “festas estão muito caras”, as pessoas é que estão sem dinheiro. Esta é que é a grande verdade. Não há dinheiro em São Vicente. O sãovicentino é um povo muito festeiro, e festa de fim de ano é sagrado, arranja sempre um jeitinho para uma festinha. Mas se não há dinheiro nem para comer….

  2. Jorge Barbosa

    Era preciso que o povo de são Vicente passasse por todas estas dificuldades e, para deixarem de entregar dinheiro aos donos das festas que só lucram e principalmente porque é somente ilusão, depois chega Janeiro nem um tostão para comida, reparem que todo o dinheiro que gastamos durante a época festiva vai sempre para as pessoas de posse material, não compramos nada que de lucro a pobreza.Há certas coisas em Cabo Verde que devem mesmo piorar até o fundo do poço para podermos ter um novo começo.

  3. Nita Fortes

    Hoje é dia um e penso que a Rua de Lisboa esteve cheia de gente. Està bem. Dia de festa é para festejar e mais ainda quando se tem pena. Agora, o que é preciso dizer é que quase todos desaprovam a despesa com os Kassav. Pouco importa quem pagou, o dinheiro podia servir para outras coisas sobreudo na miséria em que se vive e com os super mùsicos que temos.
    E ninguém disse mal de Kassav porque é muito bom conjunto.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.