… So mas um solim, Luís?

30/12/2013 00:50 - Modificado em 30/12/2013 01:50

luis moraisSo mas um solim, Luís! Num ano em que mãos invisíveis bem identificadas decidiram assaltar e vilipendiar a alma mindelense. Melhor dizendo: continuar a tarefa de nos roubar a alma e transformar Mindelo num Freixo de Espada à Cinta, Assomada ou outra coisa qualquer.

 

Só mas um solim, Luís? Sopra nas Boas Festas a alma mindelense, mostra a alma desta cidade onde Deus derramou a Sua alegria. Só mas um solin, Luís? Sim! Mas um solin, num ano em que se viu o Éden-Park transformado em lixeira e latrina perante a passividade dos que acham que “aquilo” é apenas um edifício e não um lugar onde a alma da gente do Mindelo foi capturada; onde estão as nossas memórias, os nossos risos, palmas, lágrimas, paixões, a nossa alma.

 

So mas um solim, Luís? Agora para a escola da Praça Nova vandalizada, é transformada em retrete. E outra vez, perante a passividade das mãos invisíveis bem identificadas que pensam que é apenas uma escola e não mais um local com alma mindelense. Que porra de Ministério da Educação é esse que não tem 15 contos/mês para pagar um guarda para não deixar que defequem nas memórias de milhares de mindelenses que nessa escola aprenderam as primeiras letras; descobriram o mundo, a vida, os números, a história, as letras, o amor. Sim que porra de Ministra da Educação e Ministro da Cultura são esses que não sabem que o que diferencia o ser humano dos animais é a alma?

 

So mas um solim, Luís? Para o Liceu Gil Eanes a cair aos pedaços como se fosse apenas mais um edifício qualquer; para o Fortim del Rey vendido, abandonado.

 

So mas um solin, Luís! Num ano em que tiveram o desplante, a pouca vergonha, a cara de lata de excluir a Baía do Porto Grande das maravilhas de Cabo Verde quando é uma das maravilhas do mundo. E mais, no seu concurso da porcaria, tiram o Monte Cara da Baía do Porto Grande para ser premiado apenas como um monte.

 

So mas um solim? Sim, mas um solim para ti dear Luís, tu que capturaste na tua música a alma mindelense para eternizá-la. Para ti, Luís apesar do Governo não ter decretado feriado nacional quando morreste; apesar da CMSV insistir em não te homenagear como mereces; apesar da nossa querida Zau ter dado a uma praça da cidade o nome de um Luís qualquer de Portugal e não o teu; apesar de não haver uma rua com o teu nome no Mindelo que tanto amaste, apesar de não haver um busto teu na ilha onde nasceste, nós não te esquecemos no sopro do teu clarinete que por estes dias invadem as nossas vidas, na saudade, no aperto no coração sempre que ouvimos BOAS FESTAS. Mas também na alegria do teu sorriso eterno, nos milhares de abraços apertados ao som do teu clarinete. Ah, Luís! e da crioula linda no peito quente ao som de um bolero ou de uma cumbia saído do teu clarinete sabe..sabe moda intentason . Não te esqueceremos, nunca… So mas um solim, Luís?

 

Eduino Santos

  1. JLL

    Obrigado Jornalista Eduino Santos por estas lindas palavras, Lembrando essas entidades que Nos Soncente e ses gente ta merece mais respeito. Espero que em 2014 eles fazem coisas melhor pa es terrinha de L.Morais S.Evora,Bius e de tude ses gente.So mas um solim, LUIS?. Muito obrigado

  2. fernando fortes

    Maravilhoso Sr.Jornalista.Maravilhoso.Quem conheceu o Luis Morais como eu,apenas diz obrigado pelo artigo.Maravilhoso.

  3. jorge santos

    muito bem , Eduino Santos . è por isso que alguns não gostam de ti .Adorei o texto ,por mi e por saõ vicente e pelo silencio de quem deveria falar. Só mas um solim , Luis ?

  4. admilson da rosa

    OBRIGADO EDUINO POR ESTAS LINDAS PALAVRAS DIRIGIDAS AO MEU GRANDE PROFESSOR E MAESTRO LUIS MORAIS
    SÓ QUEM CONHECEU TI LIS DE PERTO COMO EU SABE O QUE SIGNIFICA A PERDA DELE.

  5. admilson da rosa

    Luís Morais

    Músico cabo-verdiano, Luís Morais nasceu a 10 de fevereiro de 1935, na Ilha de S. Vicente, e morreu a 25 de setembro de 2002. Oriundo de uma família de músicos, Morais foi aluno de José Alves dos Reis, regente da banda do Mindelo.
    Aos 14 anos, integrava já a banda do Mindelo, atuando na Praça Nova ou até em bares e festas conjuntamente com a família e amigos, interpretando mornas, coladeras, salsas, batucadas e valsas.
    Durante a sua longa e prestigiada carreira, notabilizou-se como um virtuoso executante de instrumentos de sopro, entre os quais saxofones (alto e tenor), clarinete e flauta. Foi o mentor do famoso conjunto Voz de Cabo Verde, com o qual percorreu o mundo como solista e diretor musical. Foi também um dos precursores da música instrumental em Cabo Verde. No universo dos solistas cabo-verdianos que registaram discos 100% instrumentais, entre eles Luís Rendall, Tazinho, Chico Serra e mais tarde Bau, Luís Morais destacou-se como sendo o mais prolífero artista nacional. A obra de Morais passa pelos estilos tipicamente cabo-verdianos, assim como pelo choro, samba e pela bossa nova do Brasil, e também pela cumbia, que se evidenciou nos anos 60 e 70 no mundo hispânico, chegando também aos grandes clássicos europeus dos anos 60. Destacam-se “Mona Lisa”, “Lágrimas”, “Nostalgia” e sobretudo “Boas Festas”, entre os temas que faziam o imaginário de S. Vicente – pensar em terras longínquas, com o som extravagante de uma cumbia (muito em voga na altura) à mistura com uma dolente morna, às vezes a solo, outras vezes com as vozes de Djosinha ou Bana e ainda Cesária Évora, entre outros.
    Foi condecorado Embaixador da Música de Cabo Verde.
    Para além da carreira como músico, Luís Morais também foi professor de Educação Musical no Mindelo, na Praia e em Dakar.

  6. Maria

    Reclamam, reclamam, e reclamam mais ainda…nhes gente sis feze algum cosa!!
    Gente de Soncente ta gosta de tchora e ka fze nada om…chetice!!
    Só querem vida boa, tudo prontinho e tudo SÓ para eles: é que lhes tiram, lhes roubam, lhes estragam, lhes vandalizam…uáááá bsot NADA bsot ka ta faze na vida, om!!!??? Caramba també.
    Quando já se trata de festa – carnavais, festas de fim d’one e etc, já ai sim “nos é k’ta manda, nera Ninha???”
    Deixem de reclamar e trabalhem!!! Façam algo mais 😛

  7. Jll

    Um tava gosta de sabe dos cosa:. uke que es senhora Maria ta propo gente de Soncente pa faze, e quem que es senhor Jorge Santos.Sera que quel deputado pa circulo de soncente?

  8. jacira morais

    obrigada pela linda mensagem destinada ao meu avo e a todos os mindelenses que atraves da sua musica conseguem abraçar a nossa singela ilha <3

  9. Maria Segundo

    O Comentador “Sr.Mária” pelas suas palavras deixa transparece que é do Sexo masculino,natural de S.Antão e vive em S.Vicente. Este senhor estudou em S.Vicente de certeza, deverá de certeza trabalhar nas empresas do “SISTEMA” :(ENACOL ou ENAPOR ou INDP ou outro ).Sr. Maria você é de S.Antao que é uma Ilha que se não existisse S.Vicente e se S.Vicente não reclamasse.vocês simplemsente teriam desparecido. Facto curioso é que as pessoas das outras ilhas, gostam de critiar S.Vicente porque EXIGIMOS

  10. Djê Guebara

    Boa crónica e explendo homenagem ao nosso gènio musical que foi e serà para sempre o nosso imortal Luis Morais,o homen com a sua arte o que el mais sabia fazer imterpertrar a musica caboverdeana e levar-la alèm fronteiras,O mais grande de todos o grande mestre è uma vergonha para essos ineptos governantes que temos em cabo verde atè que me sinto vergonha de ser caboverdeano por essa razão. Negros não sirvem para governar.

  11. Vera Santos

    Em primeiro lugar a nota do Eduino Santos e de tirar o chapeu(Grande Eduino).
    Quanto a Maria inveja mata somos reconhecidos pela nossa cultura e isso mata muitos encostos em sv, e claramente o seu desfeito e que nao es da divina ilha,,, presta atensao Maria. Lamento informa-lo(a) mesmo com tantas dificuldades que vivemos hoje mas somos MARAVILHA de Cabo Verde

  12. Djê Guebara

    Deverias de responder a esta bruta,que o menino que não chora não mama.

  13. Maurino C.B. Delgado

    Isso é um problema de gestão. Para isso, precisamos de bons dirigentes, tanto à nível do Poder Central como do Poder Local. É preciso saber escolher, procurá-los, correr atrás deles, entregar-lhes o Poder, para gerirmos bem o país. Mas com a Sociedade Civil que temos, isso vai levar ainda algum tempo.

  14. Julio Goto

    Simplesmente mas um sulim…
    Alguem ja tinha dito e vou repetir.
    Na capital do pais existe uma forca politica de fanaticos cuja funcao e fazer com que S.Vicente nao seja um PEROLA brilhante da coroa de Cabo Verde.
    Ja e tempo de Renascer o Capitao Ambrosio .

  15. Eduardo Oliveira

    Tiro o meu chapéu ao Eduino Santos pelo excelente artigo sobre um dos nossos maiores mùsicos de todos os tempos e ainda por ter sabido ligar a injustiça para com o Luis ao vandalismo organizado para demolir o Mindelo.
    E não culpem so o Estado e os bandalhos em funções na Câmara Municipal porque a folclôrica da Isaura foi catastrôfica.
    Quanto à Maria digo que é uma azia. Devia ter compreendido que Soncente e Sintantom estão inter ligados e que não podem viver uma sem outro e vive-versa.

  16. Adriano Lima

    Calha bem a propósito evocar nesta altura a arte e a memória do Luís Morais, e o Eduíno fá-lo com bom uso da palavra. E a altura é ainda mais apropriada quando, segundo li, a Câmara vai importar música estrangeira para os nossos festejos da passagem do ano. Luís Morais sentir-se-á indignado porque melhor do que ninguém sabe que somos os melhores intérpretes daquilo que habita o fundo da nossa alma.
    O Eduíno denuncia, e bem, o triste panorama do nosso património arquitectónico.

  17. Jello

    NN tem destacado ao longo de vários anos e nomeadamente 2013 por uma cobertura exemplar dos problemas sociais políticos e culturais desta ilha em crise profunda que é Soncente. Este editorial é um acto de coragem que lhe pode custar caro em 2014 (um duro retorno do bastão) mas bolas Eduino como todos nós que nascemos nesta bendita ilha que nos fez homens, devemos a Soncent algo.
    Mas o trabalho de NN no despertar da consciencialização da problemática de muitos desta ilha que andavam alienados ou num sono ou sonho profundo será um dia reconhecido. S. Vicente com Deus será um dia uma região política em CV e terá o seu governo regional que se ocupar dos seus problemas locais e específicos (socioeconómicos políticos e culturais) e a ilha não terá mais razão de queixa se todos trabalharem no mesmo sentido em prol do seu desenvolvimento.

  18. Para Maria Segunda

    Maria segunda: engano seu. Sou mesmo de Santo Antão, mas
    sou mulher sim sra. e não, não vivo em São Vicente – vivo em
    Santiago, na Praia – CAPITAL sabe? Quanto a Santo Antão não existir
    se não fosse São Vicente…ahahahahahhahahahah deixa-me rir!!!
    Ahahahahahahahaha…talvez por ignorância a Sra. não sabe que SV só
    tem ascendentes de outras ilhas- Santo Antão (em maioria), São
    Nicolau, Sal…portanto; SV só sobrevive por causa da agricultura,
    venda de produtos para gentes de outras ilhas. (cont)

  19. Para Maria Segunda

    SA desaparecer??? ahahahahah…SA é a segunda maior ilha de
    CV “ninha” e de lá vem muita coisa para vos fazer sair do “bife de
    caneca”…vocês só sabem reclamar sim sra. Vai trabalhar, mais
    é!!

  20. eduardo monteiro

    “Porra Eduíno”, tudo isto já uma delícia, costuma-se dizer que contra factos não há argumentos e tudo o que disseste está à vista de todos para quem quiser ver, e ouvir.

  21. noemia silva

    Olha Maria e Para Maria Segunda vem a Soncente no dia de S Silvestre que a gente tira-te as pulguinhas e damos-te um sapato confortável para andares a saltitar nas montanhas. Sua ingrata que estudou em S. Vicente e aqui crescentes os dentes

  22. djosa

    Espectacular E. Santos, excelente artigo.
    As pessoas S.Antão criticam São Vicente mas não fazem nada para a sua ilha e suas gentes. Mindelo é solução S.Antão.

  23. Desculpa-me mas a Maria tem razão, nós de S.Vicente gostamos de reclamar isso é verdade nua e crua, mas quando há uma luta para uma causa justa, manifestação ou qualquer coisa do género a favor da ilha metem todos dentro do buraco e não aparecem, isto está provado, mas na hora de campanha e festas na rua de Lisboa aparecem.

  24. Tony Lopes

    12/31/3000 (Nota a data)
    Luis Morais foi o maior de todos os músicos cabo-verdianos. Ti Lis definiu o que era ser crioulo apesar de todas as fases que passamos. Suas habilidades técnicas surpreendentes, a alegria e espontaneidade, e duma mente musical incrivelmente rápida, inventiva musica ainda dominam até hoje.

    Tony Lopes
    New Bedford

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.