Mulher continua desaparecida há 15 dias: “Lutcha” simplesmente …desapareceu

26/12/2013 08:45 - Modificado em 26/12/2013 08:45

Maria de Lourdes_Lutcha_a mulher desaparecidaMaria de Lourdes, de 40 anos, conhecida por “Lutcha” vivia na localidade de Cruz João Évora, São Vicente com o marido e quatro filhos. A cidadã que sofre de problemas de depressão saiu de casa no dia 16 Dezembro para arranjar o cabelo num salão de beleza em Monte Sossego. Volvidos cerca de duas semanas, a família mantém a esperança de encontrar Maria de Lourdes, cujo paradeiro continua a ser um mistério.

 

Segundo o companheiro de “Lutcha”, Moisés Andrade, esta saiu de casa por volta das 14h30min, rumo a zona de Monte Sossego para procurar os serviços de uma cabeleireira. Ao sair de casa, Maria de Lourdes não apresentou sinais de que sofria de algum problema, pelo contrário, “deixou a residência da família de forma descontraída e entusiasmada”.

Mas com o passar das horas, começaram a surgir as primeiras preocupações, mas o facto de que as “mulheres, muitas vezes devido a presença de outras clientes passam várias horas no salão”, levou a aguardar pela chegada da cidadã. Uma vez que “Lutcha” não chegou a casa e nem ao seu destino, o seu companheiro contactou a Polícia Nacional e Polícia Judiciária para comunicar o seu desaparecimento.

Com o passar dos dias, a ansiedade tomou conta da família de “Lutcha”, que mantém a esperança para que ela regresse à casa. Os familiares dizem que vivem um drama, mas que a esperança é a última a morrer, apesar das tentativas de a encontrarem não terem surtido o efeito esperado . A cidadã deixou quatros filhos, entre eles um bebé de um ano, que ficou sob a guarda do marido, Moisés Andrade.

Por outro lado, os familiares e amigos de Maria de Lourdes, que é membro das Testemunhas de Jeová em São Vicente percorreram a cidade do Mindelo e bairros à procura de informações sobre a mulher. E ainda colocaram a sua foto em diversas áreas e contactos de telefone, para quem souber do seu paradeiro, que entre em contacto. Mas o certo é que até agora, o telefone não tocou e nem as autoridades criminais têm pistas onde a se encontra a mulher.

  1. santos

    ao moises filhos e familiares, desejo muita força e que tud volte a normalidade, professora do eliezer do jardim.

  2. A.B

    Todos vivemos esta angustia e anciamos um final satisfatorio. Coragem irmão Moises!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.