Lembrando Nady: saiu para comprar prendas de Natal e foi morta pelo namorado

26/12/2013 08:38 - Modificado em 26/12/2013 08:38

Ex namorado de Nádia Aleixo_Há um ano, Nádia “Nady” Aleixo de 27 anos tinha a intenção de passar o Natal em família. Por isso, na tarde do dia 24 Dezembro, por volta das 17 horas, saiu de casa na localidade de Espia, acompanhada do namorado Adilson da Luz com o objectivo de comprar um presente na cidade para participar da habitual troca de prendas com os familiares. Nady não voltou para participar na ceia e festa do Natal. Volvidos dois dias, o seu corpo foi encontrado em casa de Adilson, com lesões a indicar tratar-se de um homicídio.

 

O corpo de Nádia Aleixo foi encontrado na tarde do dia 26 Dezembro na residência do ex-namorado, Adilson da Luz, conhecido por “Vubra”, na localidade de Ribeira de Cadela. A vítima apresentava lesões no corpo que indiciavam tratar-se de um homicídio.

 

A delegada de Saúde não especificou as causas da morte, mas este online soube junto de entidades que participaram no exame realizado ao corpo que este apresentava lesões com maior incidência na região da cabeça e que os indícios aparentavam “tratar-se de um homicídio”.

 

O corpo foi levantado por volta das 19 horas pelos bombeiros depois da Delegacia de Saúde e da Polícia Judiciária terem autorizado a sua remoção, mas foi conduzido de imediato para ser sepultado no cemitério por apresentar sinais de decomposição.

 

No dia em que o corpo da vítima foi localizado, “Vubra”, o principal suspeito do crime, pôs-se em fuga. Mas viria a ser detido pela Polícia Judiciária no dia 28 na zona da Baía das Gatas. Presente ao Juízo Crime viria a ficar em prisão preventiva depois de confessar o crime.

 

Adilson da Luz confessou ter agredido a ex-namorada com uma garrafa de sisal e que depois estrangulou-a. O indivíduo assegurou que os ciúmes estiveram na origem do crime. Recolhidas as provas em sede de julgamento, o juiz aplicou-lhe a pena máxima, 25 anos. O magistrado disse que “Vubra” foi “bárbaro, frio e letal” quando matou Nady. E no fim da sentença disse ao arguido para “pedir a Deus que tenha pena da sua alma, pois o que fez foi muito grave”.

 

  1. aline

    mas como é possivel há misterio em tudo isso,com desaperecimento da lutcha

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.