Zezinho Catana não confessa crimes de São Vicente: “não matei ninguém, não sei de restos mortais”

23/12/2013 00:10 - Modificado em 23/12/2013 09:01

interrogatorioO NN sabe que Zezinho Catana não tem colaborado com o Departamento da Polícia Judiciaria de Mindelo nas diligências para apurar a veracidade dos depoimentos que deu na Praia, aquando do assassinato de José dos Anjos, onde assumiu a autoria de crimes de homicídio em São Vicente. Este online soube que a postura de Catana nos interrogatórios tem sido “não matei ninguém, não sei de restos mortais”. Uma situação que leva a PJ a suspeitar que o sujeito foi instruído para negar a prática dos crimes que disse ter cometido, para ser ilibado.

 

No mês de Junho, quando do assassinato o cidadão, José dos Anjos, em Terra Branca, Santiago, Zezinho Catana confessou a Polícia Judiciária que tinha morto duas mulheres na ilha de São Vicente, Alice dos Reis e Maria Chandim. Depois, o sujeito chegou de dar pistas as autoridades que tinha envolvimento no desaparecimento do cidadão Amâncio Maniche.

Volvidos seis meses, a Polícia Judiciária e o Ministério Público trouxeram o sujeito a ilha de São Vicente para prosseguirem com os interrogatórios, para se apurar a veracidade das declarações efectuadas por Zezinho, quando foi inquirido no Departamento Nacional da Polícia Judiciária, na cidade da Praia.

Os interrogatórios decorrem desde da terça-feira, 17, mas até então o processo de averiguação se encontra parado. É que Zezinho Catana mudou a sua postura de actuar nos interrogatórios : entrou num jogo de denegação, ou seja não fala sobre os crimes que diz ter cometido na cidade do Mindelo.

“Tem sido um jogo psicológico árduo, visto que, na cidade da Praia, ele apresentou-se orgulhoso e vaidoso do que fez e nessa fase fez confissões. Mas noutros ambientes psicológico retrai-se, como acontece agora que está em São Vicente para esclarecer os factos onde assume a autoria. Neste momento não fala dos crimes e pior que isso não dá pistas onde podem estar os restos mortais”- Soube o NN

A Polícia Judiciária está a fazer aquilo que está ao seu alcance para prosseguir com as averiguações, e obter uma resposta de Zezinho: onde estão os corpos das pessoas que diz ter assassinado na ilha de São Vicente?

A tarefa da PJ é conseguir que o suspeito indique onde enterrou os corpos. Mas por ora, Zezinho Catana não quer cooperar e recusa a falar sobre o dossiê que lhe trouxe a São Vicente. O silêncio do suspeito trava o avanço da investigação em Mindelo, sendo certo que sua confissão, por si só não é suficiente para lhe atribuir os crimes.

Porque para o processo não ficar parado, Zezinho terá que indicar onde pairam os restos mortais de Alice, confirmar o seu envolvimento no desaparecimento de Amâncio, bem como explicar como ocorreu a morte de Maria Chandim.

  1. mim.djon

    tudo bem que é um direito que lhe assiste, infelizmente.
    Pese embora nao quero acreditar que haja algum Advogado que tenha
    essa corajam incrível de instuir esse monstro para se remeter ao
    siliêncio. Sr. Jornalista, “ilibado”, mas ilibado de quê ?, não
    obstante o termo utilizado indevidamente. Haja paciência

  2. Diaspora

    Porque o rosto do Sr Zezinho Catana aparece a acompanhar os
    artigos e outras caras nao? E preciso haver uniformidade para que a
    nossa sociedade comece a identificar quem reside ao nosso
    lado.

  3. nestes casos a PJ podia usa un TENDIPALLE

  4. Jorge Balanta

    O mais interessante , para não dizer triste e lamentável
    nesta peça de teatro,tragicocomica é que um simples cidadão talvez
    analfabeto “dócil,inofensivo, um coitado” sozinho consegue
    desmascarar a fragilidade do sistema de saúde e judicial em Cabo
    Verde, consegue pôr nu todo um sistema bem montado baseado em
    falsidades, falcatruas, mentiras,etc, etc,.O que “doutores” temos
    até demais nesta terra e semelhantes até agora não conseguiram, um
    ” docil, inofensivo,um coitado” consegui.

  5. Soncente

    Na altura qel cofessá es devia ter el trazido logo pa Soncente pel bem mostrá ondé qel matás e interrás. Agora ê too late.

  6. José Manuel de Jesus

    Perante a intransigência deste predador nato, devem encercerà-lo sem dia de sair. Com ou sem confissão ele jà està suficientemente comprometido para a eternidade. A pior gaoila é o lugar para ele

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.