Nem sequer sabem se vão jantar

20/12/2013 07:26 - Modificado em 20/12/2013 07:26
| Comentários fechados em Nem sequer sabem se vão jantar

NatalEnquanto muitos escolhem o que fazer na ceia de Natal, há muitas pessoas que nem sequer sabem se vão jantar. Algumas mulheres de famílias desfavorecidas da ilha de São Vicente, foram entrevistadas pelo NN que acabou por constatar que a tradição de cear em família ainda continua e é um marco para todos, mas muitos enfrentam grandes dificuldades para colocarem a comida à mesa.

 

Lenisia da Luz, não sabe se vai jantar no dia 24 pois, segundo ela, a vida está muito complicada, “nunca tive a tradição da ceia de Natal, mas antes sempre havia comida, talvez vamos comer, arroz com peixe frito”. Para ela, o Natal é como todos os dias, pois o dinheiro que ganha como empregada doméstica, mal dá para comer, quanto mais para falar noutras coisas, como roupas, comidas e prendas.

Para a funcionária da Frescomar Nanda Lopes, a tradição da ceia de Natal é sagrada, “todos os anos tenho essa tradição e enquanto tiver possibilidades, vou fazê-la com a minha família e ceamos juntos, com feijão verde e, se houver possibilidades, compramos mais coisas para a ceia”. Para a família Lopes, o bolo de Natal não pode faltar, porque as crianças ficam logo com a ideia do bolo de Natal.

Dóris Fortes trabalha num chinês e afirma que sempre vai cear em casa dos pais ”todos os anos vou cear com os meus pais e o resto da família, cada um leva uma coisa conforme as próprias possibilidades; essa tradição nunca vai acabar, cresci com essa tradição e se não for cear é como se não tivesse comemorado o Natal”.

Apesar de não sermos uma família com muito dinheiro, sempre reservámos o dinheiro para comprar as coisas da ceia e ainda fazemos troca de prendas em família, realça Dóris.

Já para Maria Fortes, mulher de um pedreiro, não há Natal sem ceia, apesar de ter diminuído os gastos nessa época, não deixa de cear em família. “Reunimo-nos todos aqui em casa, porque tenho uma filha na cidade da Praia a estudar e ela vem sempre nesta época e aproveitamos para nos reunirmos porque os outros quatro filhos moram cada um na própria casa”. A família aproveita para estar junta num jantar diferente que durante o ano, não consegue fazer por causa do trabalho de muitos dos membros e da distância das próprias habitações.

Apesar dessas famílias não terem boas condições de vida, a tradição da ceia de Natal nunca morre. Diminuem nos gastos, mas não abrem mão de cearem em família.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.