PJ interroga Zezinho Catana sobre homicídios em São Vicente

19/12/2013 00:09 - Modificado em 18/12/2013 23:43
| Comentários fechados em PJ interroga Zezinho Catana sobre homicídios em São Vicente

cadeiaO Departamento da Polícia Judiciária na cidade do Mindelo deu início às diligências para apurar a veracidade da confissão de Zezinho Catana que assumiu a autoria de crimes de homicídio na ilha de São Vicente. Este online sabe que as investigações com o suspeito iniciaram nesta segunda-feira e que Catana foi interrogado para esclarecer os depoimentos aquando da confissão da morte do colega de quarto, José dos Anjos na Terra Branca, Santiago.

 

Por volta das nove horas do dia 17 de Dezembro, agentes da Polícia Judiciária retiraram pela primeira vez Zezinho Catana da Cadeia da Ribeirinha, onde está detido em regime de alta segurança. No primeiro dia de contacto com as autoridades criminais, o homicida esteve cerca de oito horas sob a tutela da PJ que pretende concluir a investigação iniciada na cidade da Praia, aquando do assassinato de José dos Anjos.

 

Nessa altura, Zezinho Catana, tido como um serial killer de Cabo Verde assumiu a autoria do crime do colega de quarto e avançou que cometeu mais três homicídios na ilha de São Vicente. As investigações realizadas pelo NotíciasdoNorte colocaram “Catana” na cena do crime: porque foi ele a última pessoa a conviver com a mulher que foi encontrada morta, Maria de Chandim e com outra cujo corpo nunca foi encontrado, Alice dos Reis. E mais tarde, o suspeito deu indícios de envolvimento na morte do cidadão Amâncio Rodrigues.

 

Interrogatório

 

O NN sabe que nesta quarta-feira, Zezinho Catana voltou à sede da PJ, desta feita escoltado por seis agentes da Polícia Criminal numa viatura da Brigada de Homicídios. Por agora, as investigações decorrem à base de interrogatórios para se apurarem as declarações efectuadas no mês de Junho, quando foi inquirido no Departamento Nacional da Polícia Judiciária, na cidade da Praia.

 

Por si só, a confissão do arguido não é suficiente para lhe atribuir a autoria desses três crimes. Por isso, a descoberta dos restos mortais de duas das vítimas pode permitir às autoridades determinar se Zezinho Catana foi de facto o autor da morte de Alice e Amâncio. Para a conclusão da investigação criminal, a presença de Zezinho em São Vicente pode ser uma luz acesa no fundo do túnel para resolver a incógnita acerca do paradeiro dos corpos. E caso der pistas, a Polícia Judiciaria irá a esses locais procurar as ossadas das vítimas.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.