Jogador do Batuque que agrediu árbitro assistente vai a julgamento sumário

11/12/2013 06:55 - Modificado em 11/12/2013 06:55

maretlo juizO jogador e capitão do Batuque FC, Odair Fortes que agrediu um árbitro assistente com um soco no rosto após receber ordem de expulsão no jogo com o CS Mindelense, será submetido a julgamento sumário. Odair Fortes ficou a aguardar julgamento sob TIR e vai responder por um crime de ofensa à integridade física.

 

O Juízo Crime da Comarca de São Vicente aplicou Termo de Identidade e Residência ao jogador do Batuque FC detido Pela Polícia Nacional por agressão a um árbitro assistente. Odair Fortes será julgado pelo juiz Antero Tavares em julgamento sumário no dia 16 de Dezembro, pelas 9 horas para aplicação de uma medida de pena vigente na lei.

 

Para além de ser sujeito a uma possível punição criminal, o capitão do Batuque incorre ainda numa sanção disciplinar por parte do Conselho de Disciplina da ARFSV.

 

Ocorrência

 

Recorde-se que o caso ocorreu no domingo, na jornada inaugural do Campeonato Regional de São Vicente, onde o Batuque FC defrontou o CS Mindelense. A situação ocorreu aos 85´, na sequência de uma jogada na área do CS Mindelense.

 

Numa disputa de bola entre jogadores das duas equipas, o guarda-redes do CS Mindelense Tol tomou o controlo do lance e aliviou o perigo. Porém, o guarda-redes caiu depois de ser pontapeado por um adversário.

 

O árbitro assistente Adilson Pinto assinalou ao árbitro principal Renato Cardoso que o capitão do Batuque FC, Dai Fortes tinha agredido Tol com os pés. Renato Cardoso para punir a conduta do atleta mostrou-lhe o cartão vermelho e deu-lhe ordem de expulsão.

  1. Nelson Cardoso

    Descrito assim, até parece que o Jogador quis agredir o guarda-redes. Na verdade, o guarda-redes deixou a bola sair-lhe das mãos, ou melhor, não conseguiu agarrar à 1ª e o Odair ao tentar fazer o golo, acabou por atingir o Toll sem intenção e este acabou por entender e aceitar as desculpas na hora. Logo, Odair foi agredido por 2 jogadores do Mindelense (Toy empurra-o e Nhambú, correndo de trás, deu-lhe duas mãos no peito/pescoço) e, quer o arbitro, quer os fiscais fingiram não ver.

  2. Nelson Cardoso

    Quando o Day foi agredido, tentou reagir e foram logo separados todos os jogadores. Foi então, que o Fiscal chama o arbitro e manda expulsar somente o Day, deixando os jogadores Toy e Nhambú sem qualquer advertência . Aliás, a arbitragem foi muito má e pior ainda para o Batuque, que num lance de penalty contra o Mindelense e expulsão do Toll (jogador ultrapassou o Toll), acabou apenas por marcar o penalty e exibir o cartao amarelo (tirou o vermelho e ficou ele na mão uns minuto).

  3. Jorge Balanta

    O Juiz Antero Tavares tem um caso que deverá servir de exemplo a outros desportistas. Já é tempo de mostrar esses canalhas que o desporto é mais do que dar uma ponta pé na bola. Para exibirem a sua violência têm a praia de bote e lugares semelhantes para tal.
    Coragem para o nosso assistente de arbitro e apesar do acontecido nao se deixe desanimar por actos animalescos como este. Espero que nao fique com nenhuma sequela resultante desta acto vil de violência. Muita coragem.

  4. António Reis

    Atletas destes não precisamos por isso sugiro que seja irradiado do futebol, para que sirva de exemplo

  5. Mindelense

    Perfeito Sr.Jorge Balanta, mas mesmo na Rua de Praia nao e’ local para violencia. Se o hobby dele e’ violencia, que pontapeie uma parede ou mesmo um saco de treino de boxe, ai sim, e’ onde ele deveria descarregar a sua violencia. Com disse e bem, o Juiz tem de ter uma mao exemplar para que outros jogadores nunca cheguem a sonhar usar este tipo de atiude. Espero que acoes do tipo seja aplicado nos veteranos. porque e’ uma autentica vergonha de comportamento o que acontece nesta liga.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.