Tiros na Laginha : A maioria dos comentadores do NN aprova a acção do Director Nacional da PJ

11/12/2013 06:53 - Modificado em 11/12/2013 06:53

tiro_armaOs comentadores do Notícias do Norte aprovam a decisão do Director Nacional da Polícia Nacional ao disparar um tiro para o ar para acabar com uma briga entre dois homens munidos de facas no parque de estacionamento próximo da esplanada do restaurante Caravela, na Laginha, cidade do Mindelo.

 

O caso ocorreu na quinta-feira passada, quando o responsável da PJ na companhia de outro director estava a almoçar no restaurante Caravela. O Director Nacional da Polícia Judiciária saiu do anonimato e assumiu-se como polícia e tentou acabar com a briga, mas teve de disparar para o ar para se impor.

 

Houve cidadãos que estavam no restaurante que reprovaram o acto do responsável da PJ, pois ficaram assustados quando ouviram o tiro. Mas para os comentadores do NN, Carlos Reis, Director Nacional da PJ tomou a melhor decisão.

 

Christian Rocha sublinha que “deu um tiro para o ar para, com a certeza, amedrontar os dois homens munidos com armas brancas. Chamando a polícia, se calhar teria chegado tarde de mais e algo de grave poderia ter acontecido ou não”.

 

Jorge Costa partilha da opinião de Christian e escreve que “eu apoio o que ele fez porque um dos homens mesmo com a arma apontada não respeitava nenhum dos dois polícias. E não se esqueçam que estavam a brigar com facas (não canivetes). E se fosse nos EUA de certeza que o tiro não seria para o ar”.

 

Para Arlindo Miranda “se por acaso esse Director Nacional da PJ não tivesse disparado e esperado pela chegada da Polícia de Ordem Pública para pôr termo a essa briga e dela tivessem resultado ferimentos graves ou mesmo a morte dos envolvidos, a esta hora, esse mesmo Director Nacional da Polícia Judiciária estaria a ser acusado de negligência pois deveria ter actuado na hora”.

 

Arlindo acrescenta que “se a polícia é tolerante é criticada, se actua é acusada de excesso ou abuso de poder. O que me faz rir é que a maioria desses críticos, quando são observadores e assistem a uma intervenção policial, acusam-na de abuso de poder ou negligência, mas quando estão na pele de vítimas (de “caçubody” ou qualquer coisa parecida) já não querem saber de tolerância nem nada do género, exigem é uma polícia a distribuir pau e tiros. Haja paciência…”

 

Por seu lado um comentador que assina como 009 não concorda com a acção do Director Nacional da Polícia Judiciária assegurando que “esse Director Nacional da PJ é um dos tais que amam o Poder. Adoram fazer valer a sua autoridade legitimada, coagindo e intimidando o cidadão comum, do Bem. Infelizmente, esses “cabeçudos” e “graúdos” continuam a pensar dessa forma arcaica e ultrapassada em plena era contemporânea, onde a Democracia espelhada na Liberdade de ser, estar e pensar é submissa ao Poder autoritário desses tais”.

  1. caravelistas

    mas sustod ainda es tava fca ses tava oia um ou dois corpos estrod na tchom sem vida.
    mi e Mindelense mas um te lamenta dze que alguns gente de socente te só confuzentos. um tiro no ar tra bost paz de esprito bost tcha de ser egoista bost oia pe ques dois vida mesmo deliquentes, ou não es é vida e es tava te transgredi Lei. es puvim de caravela gente fútil.

  2. Carlos Silva - Ralão

    Caro jornalista que escreveu esta matéria, na parte final da mesma, voltou a colocar o comentário do comentador indentificado por 009, e qualquer pessoa na sua mínima sensatez sabe que o policial agiu bem, portanto deveria se realçar o bem que foi feito e não o mal que se está tentando incutir nas pessoas que leram esta e a penúltima matéria sobre este caso. Longe a minha intenção de criticar negativamente o vosso trabalho, porque vocês sabem sou um dos que admira e muito o vosso trabalho.

  3. aldita

    eu acha esse policia fez muito bem.ele tomou melhor decisao

  4. Nelson Cardoso

    Não entendo é porque este artigo virou novamente página de notícia. Tantas coisas para darem a conhecer aos s.vicentinos. Por exemplo a gestão camarária, que devia ser tratada de forma isenta. Vão censurar novamente as minhas opiniões e comentários?

  5. Jorge Balanta

    Como conhecedor do publico que vive ou frequenta esta zona, onde reina uma onda indiscritível de violência, acho que o Director fez mal em atirar para o ar. Ele devia ter era disparado à queima roupa para dar um exemplo a esta cambada de selvagens.
    Infelizmente neste caso uma bala perdida. Falhou o alvo. De qualquer forma “chapeau” para este Director e que venham mais balas mas por favor nao para o ar pois neste caso cada bala é uma bala perdida.

  6. Anilton Freitas

    Essa com certeza foi a opção mais sensata, visto que os dois estavam armados!É melhor se assustar com um tiro ao ar do que com a morte!

  7. Mindelense

    Infelizmente tenho de concordar com o Sr. Jorge Balanta, esta zona da Laginha, proxima a Caravela e Bar Holanda atrai muita banditagem e deliquentes da pior especie. Mas culpo algumas pessoas que frequentam esta zona e que conhecem estes marginais que ao ve-los nao chamam a policia. E’ preciso agir na prevencao, sempre que vejo alguem suspeito na minha zona ou em locais que frequento chamo para o 132 e passo as caracteristicas do suspeito, nao esperemos que cometam delitos, chamem a PN.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.