Mais uma vez,salvem o Eden Park

7/12/2013 11:42 - Modificado em 7/12/2013 11:42

adriano limaO problema do Eden Park foi recentemente espoletado no arcabuz de uma reportagem do jornal Notícias do Norte, que mostrava o estado de calamitosa e imparável degradação em que se encontra aquele antigo edifício de cinema. A reportagem foi um tiro certeiro e teve o condão de interromper o sono comatoso dos mindelenses, tal o impacto emocional provocado, levando uma deputadanacional por S. Vicente a reagir como lhe competia na sua qualidade de representante do povo, o que, por sua vez, suscitoua discordância virulenta de um advogado que parece situar-se nos antípodas dos anseios do povo da nossa ilha. Claro que é perfeitamente legítima a divergência de opiniões sobre este deplorável caso, mas, quanto a mim, completamente errada em alguns dos seus juízos e fundamentos foi a atitude do advogado.

O que ele afirma é de uma leviandade tão risível e de uma ignorância tão rasteira que nem merece que se gastem muitas palavras para opor às suas diatribes. Que dizer quando para ele o Eden Park é exactamente como qualquer das outras casas antigas e abandonadas em S. Vicente? Que pensar quando parece causar-lhe engulhos a afirmaçãode que o edifício de cinema é um património da nossa ilha? Como julgá-lo quando supõe o valor do dinheiro prevalecente, e inapelavelmente, sobre tudo o resto?

Pois, para mim, se o edifício do Eden Park não é um património material devia já ter-se inscrito no respectivo cardápio, atendendo à sua antiguidade,à zona urbana da sua inserção e, sobretudo, ao seu estilo arquitectónico (“art déco”), de que deve ser exemplar único em S. Vicente se não mesmo no país. Contudo, mais importante ainda que a condição material intrínseca a um eventual crivo classificativo dessa ordem, é o estatuto de património imaterial que se lhe cola e se fundamenta no poderoso “mantra” que originou, sustentou e trancou no espírito dos cidadãos do Mindelo. Muito se tem escrito sobre a influência que o cinema Eden Park exerceu na população da ilha como veículo de informação, de cultura e entretenimento. Numa época em que o cinema comercial estava ainda nos primórdios em todo o mundo, o Eden Park foi precursor nessa inovação em Cabo Verde, com uma importância tal que se pode até considerá-la sobredimensionada ao meio a que então pertencia. Os mindelenses não tinham mãos a medir quando queriam acertar o passo com o progresso e a civilização. Tanto valeu para que a população da ilha se julgasse num oásis de alma quando traspunha o portão do cinema e se sentava na sua salapara se deliciar com os filmes que lhe traziam as “mantenhas” de terras distantes e o contacto com culturas estranhas, histórias antigas ou contemporâneas de povos e civilizações de outros quadrantes geográficos, desde a Roma antiga à selva africana do Tarzan e ao rebuliço de grandes metrópoles como Nova Iorque, Londres e Paris, passando pelos famosos e empolgantes “westerns” que deixavam os mais jovens em estado de quase catalepsia.

Como tem afirmado o Luiz Silva, e é uma verdade irrefutável, foi no Eden Park que a nossa gente abriu os olhos ao mundo exterior, à luta pelos direitos cívicos universais e à sagração da causa da justiça contra as torpezas e malfeitorias humanas. Mas note-se que não foi só o povo da ilha de S. Vicente o beneficiário das virtudes do Eden Park, foram todos os cabo-verdianos que demandaram S. Vicente em passagens ocasionais ou estadas mais duradouras. Igualmente, a nata da juventude de Santiago que frequentouaté certa altura o liceu Gil Eanes teve ocasião de comungar com os colegas mindelenses o mesmo deslumbramento pelas primícias de um cinema enriquecedor dos espíritos, a mesmareflexão sobre os valores universais que ele transportava aos destinos mais diversos. Repetindo o que disse há dias, o Eden Park funcionou como um instrumento de transfusão civilizacionalpara todos os receptores que o quisessem, igualando na mesma bancada ou poltrona ilhéus de todas as origens, pessoas de todas as classes sociais e idades.

Portanto, parte significativa do imaginário mindelense (e porque não cabo-verdiano?) tem muito do contributo do cinema Eden Park, a ponto de não ser despropositado considerar que ele ajudou a moldar a nossa fisionomia humana, emprestando-lhe marcas distintivas que não queremos de modo algum alienar. Assim sendo, não é lícito associar o Eden Park a um património imaterial? Esta é uma utopia muito cara ao povo do Mindelo, e é um crime de lesa memória deixar perder o instrumento material que o corporiza e imortaliza.

Mais uma vez, salvem o Eden Park!

 

Tomar, Dezembro de 2013

 

Adriano Miranda Lima

 

 

  1. Jello

    Que mais dizer? Com este texto Adriano Miranda Lima este nobre activista cívico das causas mindelenses, praticamente arruma o debate sobre o valor patrimonial do Eden Park. Maldito sejam os que consideram o Eden Park como um pardieiro sem interesse, a abater na calada da noite, pois se as paredes gravam algum marco dos espíritos que passaram por este edifício, então o clamor chegará aos céus e talvez os espíritos superiores que passaram por esta ilha comungarão connosco estas dores que sentimos pelo estado desta nossa ilha e intercederão por nós junto do PAI. Mais uma vez sobre este e outros temas tocante aos problemas do Mindelo onde é que estarão os intelectuais e fazedores de opinião. Em 2014 Passarão 40 anos do 25 de Abril e 39 anos da independência eventos que mobilizaram milhares de nindelenses. Onde terá passado toda esta gente tão participativa nos comícios e saraus. Estarão todos distraídos, foram para a Passárgada ou não tocam em nada que queima ou seja politicamente incorrecto.
    Efectivamente a cultura tem que fazer parte do dispositivo de recuperação da cidade do Mindelo pelo que a preservação do pouco património existente é essencial. S. Vicente pode ser um ponto farol no Atlantico e nesta costa de Africa, no cruzamento de vários continentes como sempre foi a sua vocação.
    Ter um património como o Eden Park numa zona central a mais estratégica da ilha que é a praça nova é um trunfo para a cidade, pois é ali que desemboca tudo. Se pensarmos exclusivamente em hotéis então São Vicente transformar-se-á num paraíso turístico não pela sua cultura mas para outras procuras mundanas, e talvez até pouco dignas como se vê pelo mundo fora.
    Porque não modernizar o Eden Park para acolher salas multimédias galerias e ser o futuro teatro, ópera da ilha (sim senhor Ópera, pourquio pas) um auditório. Estamos aqui a pensar noutro produto cultural para além da praia que não temos muita.
    Portanto os homens de cultura têm que abraçar a luta para a defesa do património material e imaterial das poucas riquezas que CV tem.

  2. MORGADINHO

    Muito bem Adriano , gostei deste teu artigo relembrando aos responsàveis pela cultura do nosso pais que este espaço , o mais antigo espaço cultural do nosso pais , EDEN PARK
    merece respeito de nos todos , pelos serviços prestados à nossa cultura !..

    Um Criol na Frânça ;
    Morgadinho !..

  3. MORGADINHO

    Nunca serà demais relembrar aos responsàveis pela nossa cultura que este espaço , o – maior e o mais antigo espaço cultural de Cabo Verde – EDEN PARK , merece outra consideraçao !..Digo que é simplesmente estranho esse comportamento . O prédio pertenceu a uma grande e estimada familia ,- MARQUES DA SILVA -, mas o espaço culturalmente falando , pertenceu ao povo e ao pais e esteve ao serviço da nossa cultura !

    Um Criol na Frânça ;
    Morgadinho !..

  4. Mindelense

    Pois é Sr. Claundino Gonçalves (facebook), nos últimos anos, antes da venda deste valiozíssimo património, eu era um frequentador assíduo, todos os domingos ia assistir filmes no Eden Park. Devido a algumas razões que apresentastes aqui, o comportamento de muitos jovens/crianças durante os filmes também começou a condicionar a ida das pessoas a este espação, devido perturbações, palavrões constantes, gritos, tudo sem nexo e fundamento, nada justificava o comportamento desses jovens.

  5. Luis Filipe Wahnon

    Oh Sr. Adriano Lima, e se em vez de ficar sentado a escrever de longe, estórias cheias de palavras caras e difisseis, vossé désse ezemplo e ENVIASS CONTRIBUISAO FINANCEIRA PARA AJUDAR A SALVAR EDEN PARK? Já toda a gent no Mindel tá enfastiado de moralistas como o sr.

  6. Gilda lima

    Luis Filipe Wahnon ja fizeste a tua parte com a contribuisao financeira? Isso e ciumes porque nao sabes escrever palavras caras e difisseis. Pessoas no Mindel ja ta cheia de pessoas com tu, burro e ingnorant.

  7. Antonia do Rosário

    ??? Sr. Luis Filipe Wahnon, não entendi a sua posição… Então acha que não são válidas as opiniões das pessoas? São as opiniões que levam a acções! O texto do sr. Adriano é uma opinião sobre um assunto que interessa a muitas pessoas. Eu contribuiria pelo Eden Park com todo o prazer, mas antes disso eu tenho de formar uma opinião. A sua agressividade foi descabida!

  8. Luis Alberto

    O sr. Adriano Lima tá xéxé diazá e a dona Gilda nunca pássá dum táná!! Máximo respeito e credibilidade pela opinion de Fifipe!!!! Forsa broder!!!

  9. Um Mindelense

    Muito bem Gilda Lima ; nao hà mais nada a acrescentar !..

  10. Gilda Lima

    Luis Alberto ja vi que es amigo do sr Felipe wahnon( fifipe) isso quer disser que dois burros da uma besta, ja chequei a conclucao que Mindelo nao tem so rumores e uma pora verdade!!!!

  11. Manande-Sancent

    Ma ess titiu Adriano Lima, tá trazode na tud!!! Papagoi flador já nô tem de sobra na Soncente. ACCÃO é ke nó cré seu demagogista da treta. Ba dá volta, isto é fiká ma bôs opinion sem piada lá naPortugal!!!!

  12. Gilda Lima

    Luis Alberto ja vi que es amigo do Sr Luis Felipe Wahnon alem de um burro Sao Vicente tem dois burros, e a minha opiniao.

  13. Gilda Lima

    Manande-sancent ja vi que nao sabes dar a cara esconder atras de um nome tao parve agora nao sei se voce e um burro ou uma besta mais de qualquer maneira es mais um papagoi falador de Sao Vicente!!!

  14. Vasco Martins

    Sr. Adriano Lima, li na soncente, povo tá dzé qesse escrita de bossé inda ta más pior que nhás musicas!!! Ofensivo, bossé ca ta otchá?…

  15. CANDIDO SALOMAO

    Dona Gilda Lima, já você tem idade e experiência de vida mais que suficiente para ainda estar a fazer uns comentários idiotas e ridiculos como os que você faz. Tenha juízo e deixe de ser imbecil, e já agora vá também APRENDER A ESCREVER!! Por favor!!…

  16. Gilda Lima

    Candido Salomao, obrigado e o mesmo digo eu.

  17. Carla Delgado

    Lamentável que uma pessoa caia nessa situacão difícil de Gilda. Não sabe pensar, logo não sabe o que diz e menos ainda escrever. Pensávamos que os problemas derivados do excesso de alcool estavam resolvidos, mas pelos vistos nào. Melhoras, para ti Gilda e quando quiséres passa aqui na Boutique, mas para isso tens de respeitar as pessoas dignas como o Sr. Cândido Salomão.

  18. Gilda Lima

    Carla Delgado ja vi que tens o mesmo problema que eu. Respeito tambem para o Sr. Adriano Lima. Agora nao sei se esse Candido Salomao e digno do meu respeito.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.