Falta de dinheiro e erros de sistema nas caixas Vinti4 deixam mindeleses sem dinheiro

3/12/2013 07:48 - Modificado em 3/12/2013 07:48

caixa 24O NN apurou que neste fim-de-semana houve cidadãos que tentaram fazer o levantamento de dinheiro nas caixas Vinti4 situadas na ilha de São Vicente, mas não conseguiram.Os constrangimentos começaram com erros no sistema de levantamento nas caixas e ainda no pagamento de bens através do cartão Vinti4. E depois, a situação complicou-se com as “longas” filas de espera e, para fazer entornar o caldo, as caixas deixaram de ter dinheiro. Há quem diga que foi um caos e que teve de pedir dinheiro emprestado a familiares e vizinhos.

 

Na cidade do Mindelo, os utentes dos serviços da rede Vinti4 estão a reclamar da situação vivida neste fim-de-semana. Com as agências bancárias encerradas depois das 12h30 de sábado, a partir desse período, os cidadãos tiveram de recorrer às caixas electrónicas para fazerem o levantamento do dinheiro.

 

Mas com o passar das horas, as pessoas começaram a enfrentar problemas para retirar dinheiro através da rede Vinti4. O NN soube que a presença de turistas na ilha de São Vicente e a realização de alguns eventos na cidade do Mindelo fizeram com que houvesse um aumento do fluxo de utentes nas caixas para fazerem movimentos com cartões de crédito.

 

Transtorno

 

Armindo Lopes, residente em Fonte Felipe sente-se inconformado e assegura que esteve mais de 30 minutos numa fila à espera da sua vez na caixa em Alto Sentina, mas que não conseguiu concluir o serviço de levantamento nessa área. “No sábado fui retirar dinheiro em Alto Sentina, mas tive de esperar a minha vez porque a fila era longa. Houve quem conseguisse fazer as suas operações, mas outros cidadãos como eu, tiveram de abandonar o local com as mãos a abanar porque a caixa deixou de ter dinheiro”.

 

O entrevistado acrescenta que tentou a sua sorte nas caixas Vinti4 no centro da cidade e arredores, mas encontrou o mesmo cenário, por isso, ficou impossibilitado de fazer movimentos com o cartão de crédito: “longas filas à porta dos locais e outras com avarias e sem dinheiro, um caos para quem precisava de dinheiro para compras ou pagamento de serviços aos trabalhadores”.

 

Maria Aldina e Vanda Furtado, estudantes universitárias partilham da posição de Armindo e sublinham que “a nível da rede Vinti4 foi um fim-de-semana para esquecer, porque quando não estavam avariadas, não tinham dinheiro. Não sei porque continuam a existir algumas caixas de levantamento de dinheiro nesta ilha. É que sempre que precisamos deixam-nos enrascadas porque não funcionam”.

 

Auxílio

 

José Andrade afirma que passou de carro pelo centro da cidade, Monte Sossego, Fonte Cónego e Alto Sentina, Gare Marítima, mas que ao deparar-se com as filas desistiu. Porém, no regresso a casa, Andrade seguiu o conselho de um vizinho que trabalha na estiva: deslocar-se à caixa Vinti4 na entrada do Porto Grande para procurar dinheiro. Questionado se encontrou, José diz que conseguiu retirar os 12 mil escudos que precisava.

 

Por seu lado, Vanusa Duarte e Kevin Silva, residentes em Ribeira Bote asseguram que tiveram de pedir dinheiro emprestado para pagarem as compras. “É que domingo, na hora de fazermos o pagamento de produtos numa loja, o sistema Vinti4 apresentou sinais de erro. Devido a esse transtorno, o gerente quis cancelar a venda. Não aceitamos e ele propôs como solução que pedíssemos emprestado o dinheiro a um conhecido. E assim fizemos, porque senão as compras ficariam para esta segunda-feira”.

  1. nalin

    Vocês são jornalistas ou comentadores?Por acaso contactaram os bancos para saber porque não havia dinheiro?Claro que não!E há quase 15 anos que sabem que a responsabilidade da colocação do dinheiro é dos bancos pois apenas eles têm dinheiro e podem coloca-lo nos caixas. Façam o vosso trabalho completo para esclarecimento geral da população e prestem o serviço que deve ser da imprensa e não choradeiras de clientes que nem existem.Sejam sérios!Vão publicar é?

  2. Malaguitinha

    Não é a primeira vez que esta situação acontece. Quase todos os fins de semana que coincidem com o fim de qualquer mês, esta situação se repete. O pior é que não se dá qualquer “cavaco” ao comum utilizador das caixas Vinti4. È o país que temos. Ninguém presta contas a ninguém.

  3. Alceu Lamas

    O verdadeiro problema deste País é a cultura do comodismo. Na hora de se resolver os problemas, é só esperar para ver quem são os primeiros a saltarem borda fora: ratos mas, quem são esses travestidos de ratos? Os sistemas falham mas, o pior é sabermos sobejamente que quando isso acontece, os responsaveis não terem TUTANO suficiente para resolverem estas situações. Ficam em casa a sombra da bananeira porque têm o bolso recheado ou então porque podem aceder particularmente aos cofres e problema resolvido para eles. E a nós? Quem nos acode? Esse pessoal tem que saber que as razões de terem tantas mordomias, não é somente para coçarem a pança e nem so porque são pançudos. Um País que se diz mais letrado mas, razão para perguntar: Para quê? Se o País não avança, onde estão os sonhadores? Restanos arranjar um lampião e a luz do dia sairmos a procura de quem sirva esta Terra. Haja saco para aturar tanta m….

  4. DC

    Já foi aqui dito que todos os finais de mês que coincidem com final de semana isto acontece! É PURA VERDADE! E nao venha o (a) Nalin tentar livrar a cara dos bancos e nem do SISP pois a responsabilidade é TODA deles. O DINHEIRO é nosso, pagamos o serviço anualmente! Temos o DIREITO de exigir um serviço de qualidade que seja verdadeiramente VINTI4h00 por dia. Não venha exigir “seriedade” ao NN tentando desviar a atenção do péssimo serviço prestado durante este final de semana nas ATM’s e TPA’s.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.