CVMóvel no combate à info-exclusão

29/11/2013 23:42 - Modificado em 30/11/2013 00:08

Wshop_Patim-FogoO baixo nível de literacia digital da população caboverdiana e a fraca cultura digital dos profissionais em diversas áreas estão entre as principais carências da sociedade caboverdiana no domínio da Sociedade de Informação.

 

Para dar o seu contributo a nível de uma maior e melhor utilização das TIC em Cabo Verde e no quadro do seu compromisso para com o desenvolvimento da Sociedade de Informação, a CVMóvel dá início a um projeto inovador que tem por finalidade formar a população em geral, sobre a utilização das TIC. Com esta ação estamos a contribuir para a disseminação de competências básicas de utilização das tecnologias e serviços 3G e divulgação dos benefícios associados à sociedade de informação.

 

Nos Workshops, que serão realizados em todas as ilhas do país, durante um período previsível de 14 anos, será divulgado e explicado o modo de utilização das TIC em ambiente Fixo e Móvel, com o objetivo de qualificar a população e apoiar no combate à info-exclusão.

 

Assim sendo, sob a temática A Internet. Introdução às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), teve arranque nas ilhas do Fogo (localidade de Patim, Concelho de S. Filipe) e Brava, (cidade de Nova Sintra), a primeira edição destes workshops, tendo contado com a presença de mais de 40 participantes. As próximas sessões terão lugar ainda no mês de Dezembro nas ilhas do Sal, Boavista, Maio, e no interior de Santiago. Para o início do próximo ano estão previstas ações idênticas nas ilhas de Santo Antão, São Vicente e São Nicolau.

 

Esta iniciativa da CVMóvel enquadra-se no Plano para o Desenvolvimento da Sociedade de Informação e está assente num programa estruturado de apoio contínuo, em torno de vários objetivos fundamentais, dos quais se destacam ações de formação, ofertas de equipamentos informáticos à comunidade estudantil do País e a pessoas com necessidades especiais.

 

  1. CidadaoCV

    “O baixo nível de literacia digital” tem nome. E chama-se “custo”. O custo das telecomunicações em Cabo Verde é extremamente elevado. E a qualidade é duvidosa. E mesmo assim a Telecom só tem que agradecer pelo cabo-verdiano ser um povo ridiculamente “basofo”, senão não teria a metade dos telemóveis e internet que tem.

  2. Wander Dias

    Nha 900$00 k um pô n nha Pen ondê k bzot ba kel? e já tem 10 dia.
    por isso k ja-m muda tut p unitel t+ ondê k qualidade de serviço ê mut mas mjor.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.