João Gomes: “mudar a forma de actuar do MpD”

29/11/2013 08:44 - Modificado em 29/11/2013 08:44

joao gomesUm desejo de contribuir para melhorar o partido e organiza-lo devidamente “modo que esteja em condições de ganhar as todas eleições de 2016”, são as razões apontadas por João Gomes para apresentar a sua candidatura para coordenador do MpD em São Vicente. Para Gomes o partido “não tem tido a organização desejada”, e considera este aspecto como um “facto notório”.

 

Para o candidato João Gomes o acumular de funções de presidente da Câmara e de coordenador por parte de Augusto Neves não ajudou o partido já que “não se pode estar em dois sítios ao mesmo tempo”. Reconhece que o trabalho do edil de São Vicente é difícil e complexo, e quem esta na governação camarária tem muito trabalho. “Facto que se traduz na própria preocupação do partido de que o presidente de câmara não deve ser coordenador, visto que deve dedicar exclusivamente a actividade camarária e deixar o partido exclusivamente para militantes que estejam mais libertos”, sublinha Gomes.

E estende esta preocupação a todos os cargos de responsabilidade dentro da Câmara Municipal. Gomes entende que “quem está na câmara não trabalha apenas para os militantes ,mas para todos os munícipes e deve estar a margem do trabalho partidário”, que classifica como um trabalho sectorial feito apenas para militantes e que não deve ser confundido.

 

Moção de estratégia

A estratégia de João Gomes visa tornar o MpD/SV num partido aberto aos jovens e a sociedade civil. “Queremos um partido com um funcionamento totalmente diferente, aberto a toda a gente, diferente do que vem sendo pratica”.

Nessa óptica propõe a criação de núcleos nos bairros que serão dirigidos por militantes de cada zona, escolhidos nas zonas. Explica que estes núcleos têm o dever de ser o elo entre o partido e os militantes numa relação de proximidade, e na tarefa de identificar problemas nas zonas e buscar soluções.

A novidade que pretende apresentar é o conselho consultivo concelhio, que será formado por antigos presidentes da Câmara, Assembleia, antigos coordenadores do partido e figuras notáveis da ilha. A criação desse conselho visa absorver a experiência destas pessoas que foram lideres na ilha e “tem noção das necessidades da ilha e vai fazer com que o partido seja mais próximo dos militantes”.

 

Propõe formar uma Assembleia de líderes locais de três em três meses onde os líderes dos núcleos e o conselho directivo e o coordenador para discutir os problemas dos bairros entres outros, numa busca para soluções. E acrescenta à lista de propostas fazer com a sede do partido esteja aberta por mais tempo. E por isso propõe a criação de um secretariado permanente com funcionários assalariados para darem resposta à procura dos militantes.

E com estas propostas afirma querer um partido com um funcionamento totalmente diferente.

 

Concorrência

Sobre a questão de haver duas candidaturas sublinha que é bom para o partido porque os militantes “ficam a conhecer duas propostas e têm possibilidade de escolher”. Assume que poderá haver uma ou outra quezília mas que “não pode manchar o processo , nem por em causa a união do partido”. Mas garante que qualquer lista que for eleita o partido sairá vencedor”

Mas mostra-se confiante e disposto a receber não só o candidato adversário com toda a sua equipa para trabalhar em caso de vitária. Mas em caso de derrota garante disponibilidade para trabalhar com adversário.

 

  1. Benvido Oliveira

    Caro amigo João Cabeça,

    É para te lembrar que não vou levar sozinho com o processo no Tribunal por causa do terreno (80.000m2) em Tarrafal de S.Nicolau. Eras o Advogado, certamente que recordas!!! Fizemos o MPD em S.Nicolau de gato e sapato, juntamos ao PAICV e ganhamos a Câmara e a Assembleia como independentes. Certamente que lembras que eras o Presidente da Assembleia Municipal, pois concorrestes contra o MPD. Certamente, também, lembras o que fizestes a ZAU em S.Vicente.

  2. antónio dos santos

    É assim e não podia ser de outra forma. Quem dirige o Partido sabe que não vai receber nada mas vai dar tudo. O tempo da familia, o tempo dos amigos e algum dinheiro do seu bolso tem que disponibilizar pra acudir às vezes uma receita médica dum militante carenciado. E por isso e a uma distancia consideravél das eleições, assumir o Partido agora é um gesto que todos os militantes deviam agradecer. Idem para o outro candidato embora este é funcionário do Estado via camara. O João é por suaconta

  3. antónio dos santos

    O João Gomes foi o equiparado a “Ministro da Justiça” quando Carlos Veiga deu-lhe a responsabilidade de dirigir o CONSELHO JURIDISCIONAL DO MPD, um orgão muito importante. Carlos Veiga não ia pôr nas mãos duma pessoa esse orgão se o João Gomes fosse essa pessoa que “o Benvindo Oliveira” diz que ele tenha sido. Blasfémia desse tipo só o Paicv sabe fazer, ou gente que ainda está no MPD mas com o coração no Paicv. Com o João Gomes o MPD vai sair reforçado e as eleições 2016 em SV bem encaminhadas.

  4. Sindoque

    Caro João Gomes, O Sr, nunca foi do MPD. Sempre foi um vira casacas do diabo e agora aparece como candidato. Devias ter vergonha! O MPD não precisa de gente como o Sr, limitado em todos sentidos e um grande arruaceiro. Devias ficar calado e contar o dinheiro que ganhou em São Nicolau. O Sr. é um grande lambe botas do PAICV para poder proteger a tua empresa Sossir. Devias ir para São Nicolau ou S. Tomé e nunca mais aparecer por cá.
    Sr. Advogado das Causas perdidas.
    Assinado: João Paulo

  5. Eduardo Oliveira

    Sr. Presidente da CM de S.Vicente: – Com os olhos “na bica e na garoupa” não vai a parte nenhuma. Somos uma terra pequena so com carolas em matéria de politica e, por não termos recursos, temos de ter ideias. Não seja galifão a querer tudo. Na qualidade de mais velho dou-lhe um conselho: – Escolha entre a Câmara e as responsabilidades politicas. Os municipes agradecem porque o senhor tem sido uma làstima (para não dizer lesma).
    P.S.- Tem uma circustância atenuante: – os seus Vereadores são NABOS

  6. Nilton Gomes

    Tem un frase que esse senhor dzem quando el era nha professorna EICM que nunca un pude esquece,

    Un dzel k nha ambição era ser advogado el dzem que un tava morre pobvre pois un tava ba cre defende so kem un pensava inocente e inocente caten dinheiro pa paga so culpod pois es ta da tud o k es ten e o k is ka tem pa fca ilibod.

    El dam un visão de justiça k nunca un tinha imaginod, que justiça é pa kem pode paga e condenod podia alteral basta el tiver dinheiro.

  7. Eduardo Oliveira

    Nilton
    e votaram neste individuo para dirigir o nosso Municipio. Para ensinar os nossos filhos contratam incompétentes para preparar gerações que queremos cada vez melhor e o resultado é que se vê: UMA MISERIA.

  8. Maurino C. B. Delgad

    O meu apoio vai para o João Gomes. Não estou na política ativa mas, participei, empenhadamente, na campanha presidencial do Dr. Jorge Carlos Fonseca, durante dois meses. Durante esse tempo, senti no dia a dia, essa necessidade do MPD se organizar. Dos dois candidatos ao cargo de coordenador do Partido, o João Gomes é aquele que se apresenta com melhores propostas. Tem independência de pensamento e sobretudo total abertura à sociedade civil. O facto de ter apresentado as sua propostas ao público é muito relevante para o perfil do coordenador. Do outro candidato não tenho notícias de ter feito o mesmo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.