Capitania dos Portos desconhece o paradeiro do navio

27/11/2013 00:09 - Modificado em 27/11/2013 00:20

navioA família de Alfredo Bandeira, tripulante do navio Rotterdam quer esclarecer as falsas notícias sobre o paradeiro da embarcação. Vicência, a mulher de Alfredo, disse a este online que contactou a Capitania dos Portos de Barlavento para esclarecer o assunto. E que a Capitania assegurou que desconhece do paradeiro do Rotterdam e que em nenhum momento recebeu informações das autoridades são-tomenses de que o navio se encontrava em São Tomé e Príncipe e que tinha sido encontrado com um carregamento de droga.

 

A mulher de Alfredo afirma que “na segunda-feira dirigi-me à Capitania dos Portos de Barlavento para falar com as instâncias competentes. Queria que esclarecesse a notícia veiculada no jornal “A Nação”. Na Capitania dos Portos sublinharam que têm em curso um inquérito para apurar o que aconteceu ao Rotterdam e aos seus tripulantes”.

 

Vicência explica que a Capitania dos Portos de Barlavento assegurou que o paradeiro do navio Rotterdam continua a ser um mistério. “Mostraram-me o artigo do jornal “A Nação” segundo o qual o Rotterdam está em São Tomé e que foi encontrado com cerca de uma tonelada de cocaína e que os familiares dos tripulantes sabiam desse carregamento. Questionei-lhes sobre esse facto e afirmaram que essas informações são desconhecidas, na medida que até então não foram contactados pelas autoridades de São Tomé e Príncipe”.

 

A entrevistada esclarece que se fosse verdade a versão veiculada pelo “A Nação”, a Capitania dos Portos e o Instituto Marítimo e Portuário seriam contactados, uma vez que estas instituições estão a dirigir o inquérito para esclarecer o desaparecimento do navio. E que se os tripulantes estivessem em São Tomé já teriam feito algum contacto com as próprias famílias.

 

A mulher de Alfredo Bandeira volta a contestar as falsas notícias e acrescenta que o caso do desaparecimento do navio Rotterdam volta à estaca zero: que a embarcação saiu do cais da Praia no dia 8 de Setembro rumo à ilha da Boa Vista, mas que até à data de hoje continua em parte incerta. E que a versão sobre o seu aparecimento e que carregava droga é “pura mentira”, na medida que não há “provas verídicas sobre a localização do navio, dos tripulantes e de que transportava material ilícito”.

  1. Baldoque

    E a outra notícia do “Notícias do Norte” a dizer que a Vicência tinha sido contactada pelo Armador a dizer que os tripulantes estavam bem? Não foi ela que vos disse isso? Ou será que foi invenção?
    Como é que ficamos “Notícias do Norte?”
    Haja jornalismo sério.

  2. Atento

    pois é em cabo verde esta tudo obscuro, se o jornal a na nação publicou nas suas jornais a tal noticia inclusivo uma noticia na qual confimava uma telefonema por parte do armador a uma familiar de um dos tripulantes que eles estavam bem e que regressariam a cv em breve.
    então o jornal esta mentindo, por favor respeitem os cabo-verdianos. se tem crime no meio mas em 1º lugar e saber se estão bem ou não e deixa a parte criminal para a justiça.mas sejam claro com as noticias

  3. Arnaldo Moniz

    Sinceramente. Um jornal incrimina um cidadão. Assume de forma retalhada e por impressão um crime que não existe, aprofunda o sofrimento do armador e da família… FIAC POR ISTO MESMO

  4. Vicência

    Es Vicência li, respondem só um pergunta, se marid falá ma el ou não..

  5. JC

    O JORNALISMO EM CABO VERDE VIVE DISTO MESMO; NOTICIAS SEM NEXO, SEM CONTEÚDO PROFISSIONAL, SEM VERACIDADE, SEM HONESTIDADE, COM GRAVES ERROS DE ORTOGRAFIA E DE FALTA DE “BEM ESCREVER”. JÁ É TEMPO DE “ALGUÊM” FAZER VALER OS PRINCIPIOS QUE REGEM ESTA NOBRE PROFISSÃO, NÃO DEIXANDO ENTREGUE “AOS BICHOS” O DEVER DA INFORMAÇÃO HONESTA E IMPARCIAL. AFINAL, QUALQUER UM QUE SAIBA ESCREVER DUAS LETRAS JÁ PODE TER A CARTEIRA PROFISSIONAL ??? O POVO MERECE MAIS… ETA AÍ, CABO VERDE NO SEU MELHOR…

  6. Tenham mais respeito pelos Cabo Verdianos. Se a Versão da Sra. É veredicto , quem assume esta falsa notícia . Tomem Cuidado antes da publicarem qualquer informação conspurcas que prejudique a imagem dos outros . Se essa notícia for falsa eu aconselho os familiares que processem neste jornal . Força os familiares das vítimas !

  7. Manuel Frederico

    Mas eu li também que alguém, creio a mulher de uma das pessoas do navio, havia recebido um telefonema do seu ente querido, dizendo-lhe que estavam todos bem e que em breve regressariam à casa. Afinal quem anda a enganar quem?

  8. Titito - S.Pedro

    Tud gent sabé de fonte segura qe matias má bandeiras tem tud controlode e combinode bnitim!! é na Cab verd e na olanda!!!! Justissa pezode pa es bandido!!!

  9. augusto

    O Jornal a NAÇÃO, deve a nação caboverdiana, uma explicação sobre a noticia. Eu fui dos poucos que disse claramente de que a noticia não era verdadeira, porque, porque bastava um pouquinho de racionalidade para ver que a noticia não tinha fundamento, foi escrito a partir do nada, e era como vários outros publicado por esse jornal. Eu já mais compro esse jornal e faço que outros não compram, a não ser que peçam desculpas e que demite a equipe técnica do mesmo

  10. evaldo santos

    A notícia sobre esta questão veiculada por a Nação inscreve-se no que já nos habituou com o objectivo único de vender o jornal, não se importando aos meios. Assiste-se, com muita frequência ao noticiar de casos não verificados sobre situações sérias, chegando a pôr em causa o bom nome de pessoas e instituições, de forma mujito leviana e ânimo leve. Veja-se o caso da associação da morte do engenheiro Emanuel Spencer com práticas sexuais sado-masoquistas, grave, incomprovada e inconsequente

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.