Cabo Verde importa 80% dos alimentos

11/06/2012 00:01 - Modificado em 11/06/2012 00:01

A importação de produtos alimentares em Cabo Verde está acima dos 80% das necessidades da população do arquipélago, revela um estudo intitulado “Análise do Impacto do Aumento dos Preços Internacionais dos Alimentos”.

Citado pela Panapress, o estudo, promovido pelo Governo de Cabo Verde e apresentado pelo consultor cabo-verdiano Floresvindo Barbosa, destaca a situação vulnerável do país e recomenda um melhor aproveitamento dos recursos localmente disponíveis, para se equacionar o problema alimentar de forma mais realista e prática.

Com base em dados sobre a produção e importação de alguns produtos, o estudo dá conta da relação entre o consumo e o aumento dos preços com reflexo na economia, constatando-se que, em 2011, o aumento dos preços dos produtos foi de 2,5%, na mesma proporção do consumo (2,5%).

O comércio aumentou em 6,5%, depois da estagnação em 2009, enquanto o stock subiu 3,2% em 2011, ano em que a produção teve uma redução de 3,8%, enquanto o comércio e o stock final também tiveram descidas em relação ao ano anterior na ordem de 1,6% e 1,5%, respectivamente.

O estudo sugere a melhoria da informação fornecida pela Agência Nacional de Segurança Alimentar (ANSA), sobretudo no que se refere aos preços, consumo e stock dos principais produtos alimentares e recomenda o incentivo à produção local de alimentos e a redução dos custos dos transportes inter-ilhas.

“Ao elaborar o estudo, o nosso objectivo foi não só fazer recomendações, mas mostrar que o Governo, ao longo dos anos, tem tomado medidas para atenuar o aumento dos preços dos produtos alimentares a nível nacional”, realçou o consultor.

Por fim, o estudo destaca ainda a necessidade de se proceder a uma análise mais aprofundada do impacto do aumento dos preços dos combustíveis na economia cabo-verdiana, tendo em vista o peso desses produtos na estrutura das importações, sem esquecer que a crise mundial afitou drasticamente os países mais pobres.

 

 

Oje.pt

  1. Nelson Alves

    Isto se revela a forma da política administrativa do Governo à não valorização dos recursos e do trabalho dos incansáveis filhos/Homens da Terra. É uma vergonha um país que está sendo tratado como um país de desenvolvimento médio.

  2. janilson

    Ta na hora de cabo verde deixar de ser um bom IMPORTADOR e passar a ser um bom PRODUTOR.Temos jovens capacitados e desempregados porque tudo é importado deixando os jovens sem opção de trabalho. Quando temos varias areas que deveria ser aproveitados para serem cultivados, mantense o abandono pois para quê produzir se estamos numa sociedade de importação sem controlo….o governo esta cego ou todos nós estamos a dormir com as ideias do governo??????

  3. João Largato Silva

    ai que bom nao fazer politica de importacao para os produtos nacionais a serem vendidos na um preco bastante alto e se estao a reclamar que nao ha trabalho como podes comprar esses produtos. ali vai so um exemplo um kg de carne galinha nacional e 280$00 e de estrangeiro e de 2200$00 . e melhor meter juizo nesse cabeçinha,

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.