Cinquenta mortos em queda de avião na Rússia

18/11/2013 00:10 - Modificado em 17/11/2013 22:35
| Comentários fechados em Cinquenta mortos em queda de avião na Rússia

aviaoBoeing 737 da companhia regional Tatarstan Airlines despenhou-se ao tentar aterrar no aeroporto de Kazan.

 

Um boeing 737 que assegura ligações internas na Rússia despenhou-se neste domingo quando tentava aterrar no aeroporto de Kazan (a cerca de 800 quilómetros a leste de Moscovo). As 50 pessoas que iam a bordo do aparelho morreram, de acordo com a porta-voz do ministério russo responsável por situações de emergência, Irina Rossious.

 

Segundo as agências internacionais, o avião partiu do aeroporto internacional de Domodedovo, um dos principais aeroportos de Moscovo, e despenhou-se em Kazan ao final da tarde, cerca das 19h25 locais (15h25 em Portugal continental), quando tentava, pelo menos, uma segunda aterragem.

 

De acordo com a Reuters, o avião — com 23 anos — pertencia à companhia aérea regional Tatarstan Airlines e incendiou-se quando tentava aterrar ao fim de uma hora de voo. “Segundo as informações preliminares, morreram todas as pessoas que iam a bordo do avião — 44 passageiros e seis membros da tripulação”, adiantou Irina Rossious.

 

Ainda não são conhecidas as causas do acidente, que obrigou ao encerramento do aeroporto. Para o local foram mobilizadas as autoridades que vão investigar o caso no quadro de uma investigação aberta por suspeitas de “violação das regras de segurança aérea”.

 

Segundo a AFP, que cita informações da polícia reportadas pela agência noticiosa russa Itar-Tass, as autoridades investigam se ocorreu uma falha técnica, um erro de pilotagem e se o acidente decorre de “condições meteorológicas desfavoráveis”. Os relatos recolhidos pela Reuters dão conta da ocorrência de ventos fortes e de nevoeiro junto ao aeroporto, referindo que o avião terá perdido altitude rapidamente.

 

A queda do aparelho da Tatarstan Airlines é um dos acidentes aéreos com maior número de vítimas na Rússia em cerca de 20 anos. O Presidente russo, Vladimir Putin, que se referiu ao acidente deste domingo como uma “catástrofe horrível”, enviou as condolências aos familiares das vítimas e mandou abrir a investigação para perceber as circunstâncias em que aconteceu o acidente, segundo fez saber o porta-voz Dmitri Peskov.

 

A Rússia tem assistido ao longo dos últimos 20 anos a dezenas de acidentes aéreos de transportadoras regionais. O caso anterior aconteceu ainda no ano passado, quando a 2 de Abril um ATR-72 da companhia Utair com 43 pessoas a bordo caiu pouco depois de descolar do aeroporto de Tiumen, na zona ocidental da Sibéria, fazendo 33 mortos.

 

Perante a multiplicação de acidentes (nas contas da AFP somam-se 13 casos desde Janeiro de 1994), as autoridades já tinham decidido o desmantelamento dos aparelhos de concepção soviética mais antigos e a fiscalização de várias companhias aéreas.

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.