Rajoy: “Governo evitou intervenção no reino de Espanha”

10/06/2012 21:51 - Modificado em 10/06/2012 21:51
| Comentários fechados em Rajoy: “Governo evitou intervenção no reino de Espanha”

O presidente do governo espanhol afirmou este domingo que o trabalho do seu executivo nos últimos cinco meses evitou “a intervenção no reino de Espanha” tendo, em vez disso, conseguido uma linha de crédito para o sistema financeiro.

 

“Se não tivéssemos feito nestes cinco meses o que fizemos, o que se teria colocado ontem [sábado] era a intervenção no reino de Espanha”, disse Mariano Rajoy, referindo-se ao acordo alcançado no sábado com o Eurogrupo.

“Como levámos cinco meses a fazer os nossos deveres, o que se acordou ontem foi uma abertura de uma linha de crédito para o nosso sistema financeiro. Uma linha de crédito europeia, para recuperar a solvência das entidades financeiras e para conseguir crédito”, disse o governante.

Mariano Rajoy falava aos jornalistas numa conferência de imprensa no Palácio da Moncloa, menos de 24 horas depois de Espanha ter feito um pedido formal de ajuda financeira externa para salvar o sistema bancário do país, num programa que pode ascender a 100 mil milhões de euros.

Com este programa, que o Governo espanhol garante só terá condições impostas ao sector bancário, Espanha junta-se à Irlanda, a Portugal e à Grécia no grupo de países que fez um pedido de auxílio internacional.

“Ontem venceu a credibilidade do projeto europeu, ganhou o futuro do euro, ganhou a solidez do nosso sistema financeiro e o que mais nos importa para crescer e criar emprego: a possibilidade de que volte a fluir o crédito as famílias, aos empreendedores, às empresas”, disse.

“Temos que manter a visão do conjunto. O de ontem faz parte de um plano global de saneamento da economia espanhola e da sua preparação para recuperar o crescimento e a criação de emprego”, considerou.

Mariano Rajoy garantiu que o programa acordado “não afecta em absoluto o défice público e por isso os planos do Governo não se alteram” e escusou-se a entrar no debate sobre se o programa é ou não um resgate.

 

 

cm.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.