Manifestantes nacionalistas atacam embaixada da Rússia em Varsóvia

12/11/2013 12:26 - Modificado em 12/11/2013 13:01
| Comentários fechados em Manifestantes nacionalistas atacam embaixada da Rússia em Varsóvia

varsoviaAs celebrações do dia da Independência da Polónia terminaram em confrontos, depois de os participantes numa marcha nacionalista convocada por organizações de extrema-direita terem lançado petardos contra a embaixada da Rússia e vandalizado uma instalação artística instalada numa praça da capital como símbolo da tolerância.

 

“Não há nenhuma desculpa ou justificação para o hooliganismo. Condenamos veementemente estas violações da Convenção de Genebra”, reagiu o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Polónia, que entregou um pedido de desculpas pelas “asneiras” em frente da embaixada da Rússia.

 

De acordo com as agências, os manifestantes, muitos deles encapuzados e envergando o equipamento de clubes de futebol, atacaram o edifício da embaixada, pegando fogo a uma guarita da polícia junto à entrada e atirando petardos. A polícia respondeu com gás lacrimogéneo e balas de borracha.

 

Os incidentes levaram as autoridades municipais a ordenar a dissolução da marcha que, segundo a AFP, reuniu dezenas de milhares de pessoas (a organização estimou a presença de 50 mil manifestantes, um número que a polícia local não confirmou). Mas os manifestantes ignoraram a polícia e prosseguiram com o itinerário previsto, para participar num comício marcado para depois das cerimónias oficiais, que contaram com a presença do Presidente, Bronislaw Komorowski, e o primeiro-ministro, Donald Tusk.

 

Os participantes repetiram slogans de “Deus, Honra e Pátria” e exigiram a demissão do Governo. No percurso, incendiaram vários automóveis, lançaram pedras contra um edifício ocupado por jovens de extrema-esquerda e destruíram um arco com as cores do arco-íris e decorado com flores que foi instalado na praça Zbawiciela, para simbolizar a tolerância e diversidade.

 

Segundo disse à Reuters um dos manifestantes, identificado como Grzegorz, de 30 anos, a marcha pretendia denunciar a “incompetência do Governo, que está a pôr em causa os valores tradicionais que constituem a identidade polaca”. Um outro participante, Mateusz, explicou que o protesto era uma “prova de patriotismo”.

 

Este foi o terceiro ano consecutivo em que a marcha dos nacionalistas terminou com cenas de violência. Mas noutros locais da capital, e um pouco por todo a Polónia, outros eventos comemorativos do Dia da Independência decorreram de forma pacífica. A data assinala a recuperação da soberania em 1918, depois do fim da Primeira Guerra Mundial.

 

 

 

publico.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.