Compra de ouro na rua: Mindelenses afirmam estar a viver numa afronta

7/11/2013 00:11 - Modificado em 6/11/2013 23:12

ouroOs emigrantes da costa ocidental, residentes na cidade do Mindelo, que se dedicam a compra de ouro transformaram-se numa afronta para quem traz as suas peças de ouro visíveis. Vários cidadãos queixam-se da forma como são abordados por esses emigrantes apenas porque trazem um brinco, pulseira ou um fio de ouro.

 

Ao NotíciasdoNorte disseram que são perseguidos e pressionados para venderem o ouro que usam. Aleida Pinto Mendes considera que “as autoridades deveriam fazer alguma coisa em relação a essas pessoas, porque me sinto intimidada com a sua abordagem. Eles tentam convencer-nos a vender o nosso ouro de qualquer forma”. Por sua vez, Marcelina Costa e João Duarte asseguram que já venderam peças em ouro depois de serem abordados em casa.

Por seu lado, Érica Sofia diz que “fui abordada muitas vezes, por esses emigrantes, por causa de um fio que usava no pescoço há vários anos. Tive de o tirar por medo ser agredida para tentarem obter esse ouro”

O NN conversou com Abdoulaye, emigrante do Senegal, que afirma “nós somente tentamos conversar com as pessoas para ver se nos vendem o ouro”. Rejeita que intimidam e perseguem as pessoas para puderem o comprar as peças de ouro. Diz que “há pessoas que ao serem abordadas começam logo a dizer que não querem falar sem saber o que vamos dizer. Não fazemos mal a ninguém. Não somos ladrões, apenas somos compradores de peças em ouro”.

Por sua vez, os costa-marfinenses, Yamusukufro e DidierBouaké esclarecem que “é um negócio honesto. Compramos peças de ouro em Cabo Verde para ir vender na nossa terra, pois ai conseguimos um bom preço que resulta num bom lucro para podermos sustentar as nossas famílias que ficaram na nossa terra natal”. Resta sabe se chatear cada qual no seu lugar é permitido .

 

  1. Mindelense

    Eu mesmo ja liguei as autoridades varias vezes sobre a forma ilegal que esses cidadaos atuam para aquisicao de ouro, incomodando as pessoas e perturbando os clientes na porta dos estabelecimentos credenciados para compra de ouro. Infelizmente tanto a PN como o servico de fiscalizacao da Camara, ficando deitando responsabilidades um para o outro. Numa situacao desta como podem os cidadaos e os donos das Casas de Ouro agir, se ninguem faz nada??? Alguem poderia responder…

  2. Mindelense

    O pior de tudo e’ que estes cidadaos, estao ganhando a vida ilegalmente, contribuindo para que as pessoas se afugentem das lojas credenciadas, que tem funcionarios para pagar salarios, aluguer, INPS, etc…, e o cumulo e’ que devido a impunidade ainda tem o descaramento de ameacar as pessoas que trabalham nestas casas de ouro porque estao sempre reclamando da presenca deles. A PN e a Fiscalizacao deveriam identificar os individuos e se repetissem a ilegalidade, seriam presos e deportados.

  3. elizabeth

    é um incomodo muito grande uma pesoa estar na cidade do mindelo a tratar dos seus afazeres , e ser ” perseguida(o)” por esses senhores que querem a todo o custo comprar ouro.

  4. elizabeth

    é desagradável , podem não ser ofensivos mas são desagradáveis

  5. Leo

    Realmente é desagradável a forma como abordam as pessoas para lhes venderem o seu ouro. Aqui na Praia tmb existem estes srs. com o mesmo comportamento. As autoridades camarárias deviam orientar os seus Guardas Municipais a fiscalizar estes srs. da costa que querem a todo custo que lhes sejam vendidos o nosso ouro que usamos. Eu, se uso o meu brinco ou fio de ouro é pq não tenho interesse em vende-los, caso contrário eu é que procuraria uma o lugar onde possa vender o meu ouro.

  6. Praiense

    Ainda bem que os mindelenses estao sempre a frente em questoes de cidadania. Na Praia, e impossivel passear no plateau sem o assedio desses emigrantes que perturbam sim e tentam intimidar as senhoras com a venda de ouro. E isso tudo na presença da guarda municipal e PN pois eles ficam em pé nas esquinas a espera das senhoras que ficam impedidas de usar suas jóias de estimação. Isto já cansa.

  7. Mizy Fortes

    Finalmente um artigo sobre este assunto, agradeço, porque para mim isto está-se a tornar insuportável. O ouro é nosso, vender ou não é opção nossa, não precisamos que ninguém nos venha perguntar. O pior é que mesmo se dissermos que não temos eles insistem, nos perseguem na rua, em nossas casas. É bom que as pessoas lhes ignore porque toda a gente já sabe que é sempre a mesma coisa…CHEGAAAAAAA. Se eles são compradores de ouro, que procurem os vendedores, porque nós não o somos.

  8. Por culpa deles ha tanto cassyboby…Desde que comecaram esta afronta de comprar ouro os cassobobistas viraram mais doidos …

  9. Maria José

    Pois é por culpa deles ha tantos cassubodys, tantos furtos, tantos assaltos e roubos. Até os nossos filhos sao aliciados por esses mandjakus para irem buscar ouro em casa e vender. Ha pais que que so dao conta quando o ouro ja esta vendido. E quando questiona os filhos, esses dizem que foram enganados. Ouro que custava 15 mil escudos foram vendido por um dos filhos po 600 escudos. Ha que por cobro nesta situacao.

  10. Manuel António

    Fico pasmado frente à inércia deste governo. O ouro é comprado para depois ser retirado do país. Não fica claro que essa atividade está a empobrecer o país? A aquisição e posse de objetos de ouro, mais do que um ato de luxo e ostentação, também foi uma forma encontrada pelos cabo-verdianos de fazer poupanças, que agora estão a ser delapidadas. Por outro lado, quem está a comprar o ouro e a coloca-lo fora do país não paga qualquer contribuição ao estado.

  11. bets

    Façam como eu.Pessam um preço exorbitante e eles logo desistam

  12. Nathanael

    Este é o governo de porcaria que elegemos. Não faz nada e esses bandidos não deviam estar nas ruas desse jeito. Deviam é ser repatriados.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.