Maravilhas do Porto Novo: Tope de Coroa e jazigos de pozolana assumem protagonismo

28/10/2013 00:00 - Modificado em 27/10/2013 22:43
| Comentários fechados em Maravilhas do Porto Novo: Tope de Coroa e jazigos de pozolana assumem protagonismo

rocha pnA comissão municipal do Porto Novo, na ilha de Santo Antão, já escolheu as sete Maravilhas do concelho do Porto Novo para disputarem o concurso a nível nacional.

 

A escolha recaiu sobre o parque natural de Tope de Coroa, os jazigos de pozolana, o vulcão da Esmercela, o vale de Ribeira da Cruz, a praia do Tarrafal de Monte Trigo, a bacia entre Ribeira das Patas e Lajedos e as dunas do Porto Novo.

João Fonseca, presidente da comissão defendeu que foi uma escolha renhida entre as 21 propostas que estiveram em análise. E que a equipa técnica sugere que o parque natural de Tope de Coroa, no Planalto Norte e os jazigos de pozolana, inerte que só existe no Município do Porto Novo podem ser eleitos como uma das Sete Maravilhas de Cabo Verde.

A comissão municipal do Porto Novo assegura que, apesar das outras propostas não terem sido escolhidas, para a edilidade passam a fazer parte das maravilhas que integram o roteiro de interesse turístico no concelho.

 

Candonga do ferro e cobre: Autoridades apertam o cerco aos vendedores e sucateiros

 

A compra de ferro e cobre, na ilha de São Vicente, está a preocupar as autoridades que recebem denúncias para averiguarem casos de roubo desses metais. A procura de materiais de ferro e cobre por parte de indivíduos da costa africana está a estimular uma onda de assaltos na ilha. Este online sabe que a Polícia Nacional está a realizar uma triagem junto dos vendedores e sucateiros para saber a proveniência dos materiais.

 

O NN apurou que o roubo de materiais para alimentar o comércio do ferro e cobre aumentou nos últimos meses em São Vicente. A situação tem preocupado as autoridades que estão a adoptar estratégias para combater o negócio desses materiais que se destinam à exportação.

A falta de uma legislação para controlar essa candonga faz com que alguns indivíduos assaltem residências e oficinas em busca desses metais para depois os venderem. Para contornar as irregularidades no negócio, a PN tem em curso um plano para controlar as pessoas, os camiões e as carrinhas de caixa aberta que se dirigem aos espaços onde fazem a pesagem de materiais. E ainda fiscaliza os ferros-velhos espalhados por algumas localidades da ilha de São Vicente.

Segundo o que apurámos, a Polícia realiza diligências para identificar compradores e vendedores, de modo a conhecer a proveniência do metal. E nos casos em que detectam proveniência ilícita, apreendem o material, identificam os suspeitos e remetem o processo para as instâncias judiciais, no sentido de se aplicarem aos infractores as medidas vigentes na lei.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.