Orlando Delgado defende que a desactivação da Cadeia da Ponta do Sol terá custos sociais elevados

24/10/2013 00:04 - Modificado em 24/10/2013 00:08

Cadeia de Ponta do Sol (1)A desactivação da Cadeia Civil da Ponta do Sol, ilha de Santo Antão, continua a suscitar reacções. A população está dividida com o anúncio do Ministério da Justiça de que o presídio será encerrado e que os reclusos serão conduzidos para a Cadeia Central de São Vicente. Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande veio a público posicionar-se contra a desactivação da cadeia da Ponta do Sol.

 

O Ministério da Justiça anunciou para o mês de Dezembro, a desactivação da Cadeia Regional situada em Ponta do Sol, no Município da Ribeira Grande. Há muito que parte dos residentes fizeram esse pedido em prol da própria segurança. Mas por outro lado, há cidadãos que não partilham dessa posição e defendem que o Governo deverá construir uma nova infra-estrutura prisional para pôr fim aos constrangimentos e às transferências.

 

Mas o certo é que esta notícia não caiu no agrado dos edis das câmaras municipais de Santo Antão e Orlando Delgado, presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande já deixou explicito que não aprova a desactivação e o envio dos reclusos para a ilha de São Vicente.

 

Em declarações à TCV, Orlando Delgado afirmou que a transferência terá um custo social enorme para as famílias de todos os reclusos. “Em relação à transferência, somos liminarmente contra, os argumentos apresentados não coadunam na medida que não fazem qualquer sentido neste momento. A Cadeia da Ponta do Sol é um presídio que tem problemas sim, mas não há nenhum problema de segurança que leve a essa evacuação. E há a questão social, a dos custos das famílias que terão de se deslocar a São Vicente para verem os seus presos”.

 

O presidente da CMRG diz não entender como é que a edilidade assina um protocolo com a Direcção-Geral dos Serviços Prisionais a pensar na reinserção social dos reclusos com o apoio das respectivas famílias e, agora, vem anunciar que a Cadeia Regional será desactivada e que os reclusos serão transferidos para outra ilha.

 

Orlando Delgado sublinha que essa acção vai privar os presos de um contacto directo e permanente com os familiares. De realçar que se o Ministério da Justiça levar avante o processo de transferência, nos próximos meses a Cadeia de São Vicente deverá receber cerca de 60 reclusos e os agentes prisionais em serviço em Ponta do Sol serão transferidos para os diversos presídios existentes em Cabo Verde.

  1. NHELA DE CAELA

    Bem feto!!! asim as familias ta bem comprendé ke ter gent prezo né benito! Educasson e social pa tud gent já!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.