Assaltos em Espia: “Caçubodista” condenado a cinco anos de prisão e receptores a prisão ao fim de semana

21/10/2013 00:02 - Modificado em 20/10/2013 22:52
| Comentários fechados em Assaltos em Espia: “Caçubodista” condenado a cinco anos de prisão e receptores a prisão ao fim de semana

cadeia-2-O Tribunal da Comarca de São Vicente procedeu à leitura da sentença de um processo-crime que envolvia um indivíduo acusado de vários crimes de roubo e um grupo de cidadãos acusados do crime de receptação de produtos. O arguido principal do caso, o jovem de 19 anos, é referenciado na PJ e na Polícia Nacional como “caçubodista” e sentou-se no banco dos réus para responder por assaltos perpetrados na localidade de Espia.

 

“Raf D´Espia” estava detido em prisão preventiva na Cadeia da Ribeirinha e, com base nos factos apurados durante a audiência de julgamento, o magistrado decidiu manter o jovem na prisão. O arguido era acusado da prática de um crime de furto e seis crimes de roubo contra pessoas e propriedades na zona de Espia, de Abril de 2011 a Setembro de 2012.

 

Medida de pena

 

Durante o julgamento, o Juízo Crime recolheu provas relativamente a seis crimes onde o arguido assumiu a sua autoria, assim como as testemunhas arroladas ao processo no próprio depoimento apresentaram factos, de que este cometeu os crimes. Neste sentido, o Tribunal aplicou uma pena de cinco anos que, segundo o juiz com base nas normas jurídicas do Código Penal, foi atenuada em razão da sua idade quando cometeu os crimes.

 

Segundo o Tribunal, com base no depoimento do acusado e dos factos relatados pelas testemunhas arroladas ao processo-crime, não havia condições para deixá-lo em liberdade porque constitui um perigo para a sociedade. Por isso, o arguido foi condenado a uma pena de prisão efectiva. Isto porque, o jovem andava a assaltar pessoas e residências na localidade de Espia e nos arredores de alguns bairros da ilha de São Vicente.

 

Por seu lado, sete cidadãos foram condenados pelo crime de receptação de produtos roubados por “Raf D´Espia”. O Tribunal aplicou-lhes a prisão de fim-de-semana, durante 10 meses ,mas a defesa dos arguidos, não concordando com a pena, avançou que vai interpor um recurso junto do Supremo Tribunal de Justiça, de modo a contestar a pena aplicada pelo Juízo Crime.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.