Crime no “Príncipe dos Mares”: o cozinheiro alega perturbações mentais

18/10/2013 00:57 - Modificado em 18/10/2013 00:57

justiça e doença mentalO Tribunal da Comarca de São Vicente decretou a prisão preventiva para o cidadão Bonifácio Rocha, indiciado como autor da morte de um cidadão marroquino, Noureddine Naciri, de 45 anos, a bordo do barco de pesca português “Príncipe das Marés”. O Tribunal vai requerer um exame de sanidade mental para apurar se o indivíduo padece de alguma anomalia psíquica.

 

Na manhã desta quinta-feira, o 2º Juízo Crime procedeu à audiência de interrogatório ao cozinheiro que matou um cidadão marroquino à facada e feriu dois colegas na sexta-feira, 12 de Outubro. O juiz questionou Bonifácio Rocha, de 45 anos, sobre os factos ocorridos a bordo do “Príncipes das Marés, quando estavam em mais um dia de faina, a cerca de 500 milhas da zona sul da ilha do Fogo.

 

Este online sabe que perante o juiz, o arguido assegurou que “no momento da ocorrência, por razões psíquicas, estava a ter alucinações: a ver imagens de pessoas a atacá-lo. E, por isso, ao defender-se dessas imagens, agrediu uma pessoa sem se aperceber de quem se tratava e em que circunstâncias”.

 

Bonifácio Rocha explicou que só veio a aperceber-se da situação, quando o imobilizaram no convés e foi informado pelos colegas que tinha assassinado um tripulante da embarcação. Por agora, o arguido vai aguardar o desenrolar do processo de instrução na Cadeia de São Vicente.

 

O ex-cozinheiro do “Príncipe das Marés” será sujeito a uma perícia médica por parte dos serviços de Psiquiatria do Hospital Baptista de Sousa. O relatório médico vai permitir saber se o arguido padece de perturbações mentais. E por altura da reavaliação da medida de coacção, prisão preventiva, o Tribunal vai decidir se mantém o homem na prisão ou se será sujeito a medidas de segurança . O que na prática significa que vai continuar na Cadeia da Ribeirinha , visto que em Cabo Verde não existe nenhum centro de internamento para doentes mentais que cometam crimes.

 

Familiares de Bonifácio confirmam que ” ele andava muito perturbado” , mas em Cabo Verde nunca tinha sido observado por um psiquiatra. Apenas em Dakar, Senegal, onde viveu, tinha passado pelos serviços de Saúde Mental.

  1. António Livramento

    Agora resta esperar para se saber quem estará em condições de dissociar o joio do trigo , ou seja indo um pouco para alem da vida fora da matéria e ajudar o tribunal a fazer o seu trabalho.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.