Crime no “Príncipe dos Mares”: Suspeito é ouvido hoje pelo Tribunal

17/10/2013 01:47 - Modificado em 17/10/2013 01:48
| Comentários fechados em Crime no “Príncipe dos Mares”: Suspeito é ouvido hoje pelo Tribunal

Crime-writingO NN apurou que o cidadão Bonifácio Rocha, indiciado como autor da morte de um cidadão marroquino, Noureddine Naciri, de 45 anos, a bordo do barco de pesca português “Príncipe das Marés” mantém-se sob custódia do Departamento da Polícia Judiciária de São Vicente. Este online soube que a PJ realizou as necessárias diligências no processo. E que entregou o suspeito ao Tribunal da Comarca de São Vicente e que esta instância judicial marcou para esta quinta-feira a audiência de interrogatório.

 

Por agora não se conhecem as razões que impediram o Juízo Crime de proceder ao interrogatório de Bonifácio Rocha, cozinheiro do pesqueiro português “Príncipe das Marés”. O indivíduo de 45 anos, natural da ilha de São Vicente, passou mais uma noite nas instalações da PJ. E nas próximas horas será presente ao juiz, onde será questionado sobre os factos que culminaram na morte de um tripulante de nacionalidade marroquina e na agressão com uma arma branca a outros dois cidadãos que trabalham na mesma embarcação.

 

O caso ocorreu a cerca de 500 milhas da zona sul da ilha do Fogo, em águas consideradas internacionais. E, neste sentido, o processo foi entregue ao Tribunal de São Vicente, instância judicial competente para decidir o destino do cozinheiro, assim como, se o suspeito será julgado em Cabo Verde ou em Portugal.

 

Este online sabe que levando em conta que o assassinato do cidadão marroquino terá ocorrido em águas internacionais, a situação será analisada pelas instâncias judicias com base na legislação para decidir se as autoridades cabo-verdianas têm competência legal para aplicar medidas de coacção ao indivíduo e levar avante o processo de instrução.

 

Contactado pelo NN, um advogado que está a par da situação assegura que para se resolver o caso, deverá ser levantada a questão da competência legal da justiça cabo-verdiana durante a audiência de interrogatório ao indiciado. E que vai caber ao Tribunal de São Vicente decidir o futuro do cidadão Bonifácio Rocha e qual a instância competente para decretar uma medida de coacção e proceder ao seu julgamento.

 

O nosso entrevistado defende que “o Tribunal cabo-verdiano tem competência legal para proceder criminalmente contra esse cidadão. Vejamos, o crime pode ter acontecido em águas internacionais, mas a embarcação estava mais próxima do arquipélago de Cabo Verde. Existem circunstâncias que podem levar o Tribunal de São Vicente a levar o processo avante. Acredito que durante o interrogatório, a legislação vigente será analisada para que possam tomar a melhor decisão. E colocando-se na pele do acusado, a opção de ficar detido no seu país seria a melhor solução”.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.