Aquisição de helicópteros encontra-se em “águas de bacalhau”

17/10/2013 01:43 - Modificado em 17/10/2013 01:43

Helicoptero-053 (1)Depois do Reino Unido ter entregue quatro lanchas a Cabo Verde para reforçar os meios de patrulha marítimos, nos próximos meses, a China e os EUA podem vir a apoiar o Estado Cabo-verdiano com mais equipamentos dessa natureza. Mas ao que se sabe, a nível aéreo, o problema mantém-se, numa altura em que o processo de aquisição de helicópteros continua fechado na gaveta.

 

É que em 2009, a então Ministra da Defesa Nacional, Cristina Fontes anunciou que o Governo assinava um contrato para a aquisição de dois helicópteros que iriam permitir que a Guarda Costeira pudesse servir melhor as missões da protecção civil e da defesa do espaço aéreo e marítimo de Cabo Verde. Volvidos quatro anos, o processo encontra-se em “águas de bacalhau” e à espera de financiamento por parte da República Popular da China.

 

Este dossiê dos helicópteros continua fechado na gaveta, quando a sua aquisição visava reforçar os serviços da instituição militar cabo-verdiana. Este online sabe que o processo de compra das duas aeronaves está concluído e que o próximo passo será negociar a linha de crédito com a China. O Estado de Cabo Verde já deu provas que a aeronave da Guarda Costeira, o Dornier é insuficiente para dar cobertura às operações aéreas.

 

Nas buscas do navio Rotterdam desaparecido nos mares de Cabo Verde, houve a necessidade da entrada em cena de meios aéreos portugueses para reforçar as buscas. Por esta altura, as autoridades marítimas e a Guarda Costeira contentam-se com a disponibilidade do Dornier que esteve inactivo durante três anos e que, agora, para além dos serviços de patrulha, às vezes apoia na evacuação de pacientes para os Hospitais Centrais.

  1. nos

    Angola acaba de comprar MAs 18.voces so querem dois!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.