Rua da Policlínica: Passadeira à beira de um cruzamento provoca caos

17/10/2013 01:37 - Modificado em 17/10/2013 01:37

passadeira-policlinicaO cruzamento na Rua da Policlínica, nas imediações da Praça Regala está a deixar os condutores preocupados. Volvidos sete meses da sua instalação, continua a existir a passadeira muito perto da curva que deixa os condutores sem espaço para manobras. Como explica um dos condutores, Alberto Lima, enfrentam-se problemas de visibilidade no local e, ao virar à direita, fica difícil prever o que se passa nessa passadeira.

 

A questão que os motoristas colocam é que têm que sair de forma rápida da curva para evitarem constrangimentos ao trânsito. E a passadeira obriga-os a parar no meio do percurso. Neste sentido, ao fazerem uma paragem para deixarem as pessoas passar ficam numa situação que prejudica a circulação dos outros veículos.

 

O NN constatou que a passadeira fica a menos de dois metros de uma curva que dá acesso à Rua da Policlínica. E que devido à forma como algumas pessoas utilizam a passadeira, há carros que são obrigados a invadir a faixa contrária e os condutores ficam expostos a envolverem-se num acidente de viação.

 

“Essa passadeira gera problemas para quem está ao volante, porque nem todos os peões fazem bom uso dela. A passadeira funciona como um sinal de STOP, porque se ao virarmos à direita e estiver alguém a passar, temos de parar na via de uma forma errada” afirma Alberto Lima.

 

Joana Ferreira é peremptória ao dizer que “a passadeira foi mal colocada, pois deveria estar alguns metros depois da Policlínica. Porque nesta rua há uma grande afluência de carros e pessoas, de modo que o perigo espreita a qualquer momento”.

 

Este sentimento é partilhado por muitos condutores, como no caso de Jorge Mota e Florencio Pinto que consideram tratar-se de uma situação “desagradável”. Isto porque, nenhum condutor tem a intenção de atropelar os cidadãos que circulam nessa rua e nem envolver-se em acidentes com outros veículos.

 

Mas sublinham que “a verdade é que há casos que deixam um motorista com os nervos à flor da pele. Como aqueles peões que fazem a travessia de forma incorrecta ou param na passadeira para falarem com outras pessoas. Ou ainda, pessoas que estacionam os próprios carros nas proximidades da curva, bem como da passadeira”.

  1. Manuel Maocha

    JÁ SE FALOU MUITO SOBRE ISSO E NAO SE VE QUEM DEREITO A TOMAR QUALQUER INICIATIVA NESTA MATÉRIA! VEJAM POR EXEMPLO A QUESTÃO DA RUA1 EM MONTE SSOSSEGO FRENTE AO MERCADO BENTO LIMA, EM QUE AS VIATURAS CONTINUAM A ESTACIONAR A PORTA DESTE MERCADO, PROVOCANDO CONGESTIONAMENTO NO TRANSITO DAS VIATURAS BEM COMO NAS PESSOAS QUANDO PRETENDEM ATRAVESSAR AS PASSADEIRAS. INCLUSIVE, HÁ NESTE PRECISO ESPAÇO, UMA PARAGEM DE AUTOCARRO QUE A MEU VER DEVIA SER RETIRADO DESSE LOCAL. HÁ AINDA TAMBEM ALGUMAS PASSADEIRAS PRÓXIMAS DAS ROTUNDAS , QUE PODEM PROVOCAR RISCOS, NÃO SÓ AOS PEÕES COMO TAMBEM AOS CONDUTORES. ESPERO QUE DESTA VEZ SEJA DADO ATENÇÃO AS PREOCUPAÇÕES AQUI APRESENTADAS PELO “NN”

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.