Delegacia de Saúde trabalha para erradicar os mosquitos

11/10/2013 00:03 - Modificado em 10/10/2013 23:09

Centro saudeCom cerca de cinco metros de largura e cinquenta de comprimento, este autêntico “rio” prolonga-se ao lado da estrada para o Aeroporto Internacional Cesária Évora importunando os moradores de Dji D´Sal e Campim que se mostram preocupados. Pois, é nesta época que “há mais mosquitos do que o costume”. Mas a Delegacia de Saúde garante que está a trabalhar para resolver a situação.

 

Sempre depois das chuvas, as águas ficam estagnadas no local, espaço utilizado para a prática de hipismo que se transforma num rio fedorento e cheio de mosquitos. E ainda, no ex-campo de futebol da localidade de Dji D´Sal. Todos os anos, os cidadãos que residem nessa zona convivem com a situação da praga dos mosquitos

 

Os moradores afirmam que a par da estagnação da água, o mau cheiro tem sido uma preocupação. Mas o problema maior são os mosquitos que molestam a comunidade. “Há anos que esperamos por uma solução para este problema, porque é difícil lidar com as picadelas dos mosquitos. Compram-se repelentes e fecham-se portas e janelas, mas continuamos a não ter sossego, porque não há nada que acabe com os mosquitos”.

 

Para erradicar os mosquitos, os moradores de Dji D´Sal e Campim pediram a intervenção da Câmara Municipal de São Vicente e da Delegacia de Saúde. Mas este online soube que as autoridades sanitárias e a CMSV vão executar um plano de pulverização anti-larval no local para diminuir os problemas causados pelas águas estagnadas.

 

A Delegacia de Saúde avança que o espaço não está abandonado, pois tem feito uma pulverização anti-larval no local e na zona. E que colocou no terreno uma equipa durante o ano inteiro a trabalhar, em todas as frentes, inclusive a da sensibilização das comunidades, para diminuir os problemas causados pelas águas estagnadas.

 

  1. Gladstone Germano

    Olá Mindelenses.Vocês têem uma solução barata e rápida para resolver o problema dos mosquitos (suas larvas) nas águas estagnadas. Despejar óleos usados das centrais eléctricas ou domésticos nas superfícies das referidas águas.Liquidando as larvas que são aeróbias não há mosquitos, porque se for feita a pulverização sobre os mosquitos o problema não se resolve,porque a origem dos mesmos,as larvas ou aquilo que nós chamamos “mané cabeça”continuam vivas e a dar origem a novas gerações de mosquitos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.