Uma teologia para a mulher: está nos planos do Papa nomear uma mulher cardeal

27/09/2013 00:07 - Modificado em 27/09/2013 00:38

Papa FranciscoSe escrevesse este artigo há três anos, na certa que seria excomungado pelo bispo de Cabo Verde. No tempo da Inquisição, dava direito a arder na fogueira com viajem directa para o Inferno sem passagem pelo Purgatório. Mas hoje, jornais de referência do Mundo, como o Elpaís, escrevem que “está nos planos do Papa nomear uma mulher cardeal”. E justificam dizendo que na entrevista à CiviltàCatolica, o Papa deixa claro que “Sabe que o tema feminino dentro da Igreja está sem resolver e não pode esperar”, quando afirma que “a Igreja não pode ser ela mesma sem a mulher”.

 

Esses observadores consideram que a frase de Francisco não é somente uma afirmação: é uma acusação. E consideram que a frase também pode ser lida assim: A Igreja não está completa porque falta-lhe a mulher”. Na citada entrevista, o Papa não foge à questão do papel da mulher na Igreja, tema até então tão ou mais incómodo do que a homossexualidade e o aborto. E defende que é preciso criar espaços para uma presença feminina mais incisiva na Igreja. Mas Francisco diz que “temo a solução do ‘machismo com saías’” porque “a mulher tem uma estrutura diferente do homem”.

O debate sobre o papel da mulher está aberto e vem de cima. E é o chefe da Igreja que quer que se aprofunde esse debate. “Há que trabalhar mais até elaborar uma teologia profunda da mulher. Só depois de o fazer é que poderemos reflectir melhor sobre a sua função dentro da igreja”. O Papa não cogita um papel menor para a mulher, pois afirma que “Nos lugares onde se tomam as decisões importantes é necessário o génio feminino. Afrontamos hoje este desafio: reflectir sobre o posto específico da mulher incluso ali onde se exercita a autoridade nos vários âmbitos da Igreja”. O chavão para “bom entendedor meia palavra basta” bastaria para explicar a “revolução” que vai na cabeça do Papa. Por isso, muitos defendem que o Papa Francisco tem um plano para nomear uma mulher cardeal. A única incerteza é: Quando?

 

Eduino Santos

 

 

 

 

 

  1. Jose Leite

    Para Sonia
    A ingonorancia é atrevida Sonia . Entao vc nao leu a noticia a seguir onde se entrevista um pastor nazareno e ele explica todo o processo para se chegar a cardeal. Porque acha que o jornalista nao pesquisou se ele cita autores e jornais onde se pode ler sobre o assunto. A minha supresa é domínio dessas questões por um jornalista , o que mostra ou contrario do q você diz que esta a fazer o trabalho de casa e a lançar um debate q ue o Mundo estás fazer , mas n se quer fazer em Cabo V

  2. Leitor da Bíblia

    Se no passado a Bíblia nos mostra em “Juízes 4 E Débora, mulher profetisa, mulher de Lapidote, julgava a Israel naquele tempo. 5 Ela assentava-se debaixo das palmeiras de Débora, entre Ramá e Betel, nas montanhas de Efraim; e os filhos de Israel subiam a ela a juízo.”, uma mulher diretamente escolhida por Deus, por que é que um simples mortal não pode escolher uma mulher para conduzir os desígnios dos filhos de Deus? Apocalipse 12:1 e seguintes não identifica a igreja de Deus como uma mulher?

  3. Miguel C. Monteiro

    O que é certo é que a noticia vai ter de se realizar, mais cedo ou mias tarde. A Igreja sempre ficou manca sem a mulher. É o caminho para que o padre possa se casar e ter filhos legalmente aceites pela igreja. Não há outro caminho se a igreja pretende caminhar com alguma força.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.