Ministra do Iémen quer proibir casamentos antes dos 18 anos

20/09/2013 01:07 - Modificado em 20/09/2013 01:07
| Comentários fechados em Ministra do Iémen quer proibir casamentos antes dos 18 anos

iemen menoresA pressão internacional exercida após a notícia da morte de uma criança de oito anos na noite do seu casamento forçado com um homem de 40, no Iémen, levou a ministra para os Direitos Humanos, Huriya Mashhoor, a pedir ao Parlamento que proíba os casamentos antes dos 18 anos de idade.

 

A criança, identificada apenas como Rawan, foi forçada a casar-se na semana passada com um homem de 40 anos na localidade de Meedi, na província de Hajjah. Segundo a activista Arwa Othman, Rawan morreu na noite do casamento. “Após terem relações sexuais, ela sofreu uma hemorragia e uma ruptura uterina, que lhe causaram a morte. Foi levada para uma clínica, mas os médicos não conseguiram salvar-lhe a vida”, disse Othman.

 

Uma semana depois, a ministra Huriya Mashhoor vem renovar os apelos ao fim dos casamentos com jovens menores de 18 anos – a organização Human Rights Watch estima que mais de 50% das jovens iemenitas são obrigadas a casar-se antes dos 18 anos de idade e 15% antes dos 15 anos. Na maioria dos casos, são jovens provenientes de famílias pobres, obrigadas a casarem-se pelos seus pais em troca de um dote.

 

“Estamos a pedir que seja estabelecida a idade mínima de 18 anos para o casamento, já que o Iémen é signatário das convenções internacionais dos direitos humanos”, disse a ministra à agência AFP.

 

O gabinete do primeiro-ministro, Mohammed Salem Basindwa, disse que o caso de Rawan está a ser investigado. “O Governo está a lidar com este caso com seriedade. Vai investigá-lo e os responsáveis vão ser levados perante a Justiça”, disse Rajeh Badi, porta-voz do primeiro-ministro.

 

Apesar da promessa do Governo, as autoridades locais mostraram na terça-feira fotografias de uma criança que dizem ser Rawan, para desmentirem a notícia da sua morte.

 

Os apelos ao estabelecimento de uma idade mínima para o casamento no Iémen não são novos. Em 2008, as autoridades locais manifestaram a intenção de alterar a lei na sequência da dissolução de um casamento de uma criança, também de oito anos, com um homem de 30 anos.

 

 

dn.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.