Navio Roterdão continua desaparecido: “o meu marido não atende o telemóvel”

13/09/2013 00:32 - Modificado em 13/09/2013 00:32

marO cidadão Alfredo Bandeira de 49 anos, morador na localidade de Salamansa, São Vicente, faz parte da tripulação do navio de carga Rotterdam que desapareceu das águas de Cabo Verde quando seguia viagem para a ilha da Boa Vista. No navio seguiam Alfredo e mais cinco tripulantes e, segundo os familiares do cidadão, até ao momento não foi possível fazer um contacto móvel, pelo que mantêm a esperança de voltar a ver o homem.

 

No domingo, o navio Rotterdam, concebido inicialmente para a pesca e que sofreu modificações com vista à sua transformação numa embarcação para o transporte de cargas, deixou o porto da cidade da Praia rumo à ilha da Boa Vista onde deveria atracar no porto de Sal-Rei na segunda-feira.

 

As autoridades marítimas, bem como os familiares, perderam o contacto com a tripulação que trabalha na embarcação. O NN conversou com a cidadã Vicência, residente em Salamansa e mulher do tripulante Alfredo Bandeira que afirmou que “na noite de domingo antes dele seguir viagem conversamos por telemóvel. Porém, depois, quando voltei a fazer um novo contacto não obtive resposta até vir a saber que as autoridades tinham anunciado o desaparecimento do navio nos mares de Cabo Verde”.

 

Esperança

 

A entrevistada assegura que a ansiedade tomou conta da família de Alfredo que mantém a esperança de que este esteja vivo, volvidos quatro dias do desaparecimento do navio onde o mesmo trabalha. Vicência acrescenta que nos últimos dias tem tentado contactar o companheiro, mas que as tentativas não surtiram o efeito esperado que passava pela localização do seu paradeiro. Pelo que agora, os familiares dizem que a esperança é a última a morrer.

 

Buscas

 

Por seu lado, as autoridades marítimas lançaram um alerta à navegação nas águas do arquipélago na tentativa de localizarem o navio de carga “Rotterdam” que está desaparecido com seis tripulantes a bordo. E ainda enviaram o navio da Guarda Costeira, Guardião ao alto mar para fazer buscas e pediram o auxílio a todas as embarcações que navegam na região para apoiarem na descoberta do paradeiro do navio de cerca de 22 m de comprimento.

 

O NN sabe que a Capitania dos Portos de Barlavento suspeita que o Rotterdam possa ter sofrido uma avaria ou ter sido apanhado pelo mau tempo que estava a afectar Cabo Verde. E que devido às dificuldades para localizar o navio por via marítima, as autoridades vão equacionar a utilização de meios aéreos para fazer uma vigilância, de modo a localizar a embarcação.

  1. xx

    As autoridades vão equacionar a utilização de meios aéreos??????? Sinceramente

  2. Elsa Fonseca

    Força Familia estamos com vosco Deus é bom Pai e que lhes tragão mais rapido possivél de volta pensamento positivo.

  3. stenio

    um ta apela a aqex entidde maior eq ta pode fze algm cosa pas traze kex home pa ses femilia pa k txa ess assunto qei na esquecimento..por fvor bsote esda nha tio Alfredo fefa pvolta pa nox pal bem abraça se femilia ta li ta reza e que esperança ate fim ma nha tio taq vida e ainda tem txeu pa fze pa se femilia…abençoa a eles meu Deus..

  4. Pexera

    palavra de mulher é palavra de gato.

  5. sidnei fortes

    deus é bom pai ele a de eluminalas o caminho d casa.ha de ter muitas experanças

  6. mima

    pa kes familia kta elvolvido ness caso um ta desejas muita força e esperança kbrevemente bsot ta recebé uma boa noticia

  7. belinda santos

    1 t esperá k ex t otxax são e salvo k ex t regressá p cex casa na hora de deus e força p kex familia d´tio fefa e força tmb p tud kex ot familiares d kex ot 5 tripulantes !

  8. miryam cabral

    deus é bom nho trazi kes 6 tripulante de volta pa sés familha,ami sta pedi deus ku txeu força pa trazi nha primo amarildo de volta pa nhos,san e salvo

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.