Boa Vista : caos com Ministra das Infra-estruturas como observadora

12/09/2013 00:14 - Modificado em 12/09/2013 00:14

Sara-LopesNo ano passado, a ponte de Ribeira d’Água, na Ilha da Boavista não resistiu à força das águas das chuvas que caíram na ilha. O Governo garantiu a construção de uma nova ponte e, com os atrasos, foi criada uma via alternativa que está a ser inundada pelo caudal de água. Com esta situação, a ilha encontra-se dividida e em grandes dificuldades, já que os habitantes não podem atravessar a ponte que liga a cidade de Sal Rei ao Rabil e vice-versa.

 

Vários trabalhadores não conseguiram chegar ao trabalho, outros optaram por irem trabalhar de barco, os carros de aluguer não conseguem trabalhar pois com a falta de acessos não conseguem escoar os produtos e ainda os turistas têm dificuldades em chegar a algumas partes da ilha e em seguir viagem para o seu país.

 

De realçar que a Ribeira de Rabil, a maior bacia hidrográfica do país com 24 km de extensão voltou a engrossar deixando a via alternativa completamente submersa. O Instituto de Estradas começou a realizar obras de desobstrução da via alternativa e o certo é que a situação só será resolvida com a construção da nova ponte.

 

Quanto a esta obra, o Governo prometeu nova ponte que até à data não saiu do papel, uma situação que já levou a Câmara Municipal da Boa Vista e alguns deputados do Movimento para a Democracia a pronunciarem-se criticando a demora na construção dessa infra-estrutura que vai evitar os constrangimentos que a população sofre no período das chuvas.

 

É neste sentido que a população da Boa Vista vive num caos com as fortes chuvas que assolam a ilha e que, por enquanto, tem a Ministra das Infra-estruturas como observadora. Sara Lopes ainda não se deslocou à Boa Vista, mas em declarações à RCV avançou que o responsável do Instituto Estradas encontra-se na ilha. E defende que se está a trabalhar na reposição da via alternativa pelo que a ilha não ficou muitas horas isolada. A Ministra das Infra-estruturas diz que as obras da nova ponte devem começar no mês de Outubro com a duração prevista de sete meses.

 

Por outro lado, o Bairro da Boa Esperança encontra-se alagado e por toda a ilha da Boa Vista há verdadeiros lagos de água estagnada que deixaram o liceu da Boavista isolado, além outras áreas. Nas próximas horas prevê-se muito trabalho para a população e para a Protecção Civil para que a situação regresse à normalidade.

 

A preocupação da autarquia é procurar uma via alternativa. O vereador Xistro Batista disse à RCV que a Câmara já tem uma equipa no terreno para avaliar a situação e tomar medidas. “De momento, a Câmara Municipal deslocou a sua equipa técnica para a ponte e vamos fazer uma reunião com as empresas na ilha para tentar fazer um acesso alternativo”.

  1. fernando fortes

    Não matem a Boa Vista.
    Façam a correcção da bacia, aproveitando melhor a água

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.