“Branca de Neve” sem os sete anões.

10/09/2013 01:27 - Modificado em 10/09/2013 01:27

teatroNo palco principal do Centro Cultural do Mindelo foi apresentada a peça “Branca de Neve” da companhia Paulo Lage de Portugal. Esta peça é a segunda ainda não vista pelos espectadores (categoria estreia absoluta) e a quinta peça exibida nestes cinco dias do festival. Este trabalho resulta do texto original de Robert Walser, que começa no beijo que desperta a princesa do seu sono da morte. É interpretado por quatro actores, sendo um deles o encenador Paulo Lage. A personagem rei da história é encenada pelo Presidente do Mindelact, João Branco.

 

 

 

Para Paulo Lage, encenador desta peça, o trabalho de pesquisa e de ensaio vai traduzir-se naquilo que será apresentado logo mais à noite. O teatro só faz sentido quando traz uma mensagem.

 

Lage acredita que: “o teatro só tem sentido se é capaz de mudar as mentalidades das pessoas”.“Foram muitos meses de pesquisa do tema e em termos de ensaios fizemos seis a oito horas de muito trabalho”.

 

Os actores da “Branca de Neve” estão imóveis mas fazem uso da palavra. Nela, a dicotomia entre o amor e o ódio estão sempre presentes ao longo da história. A barreira entre o pensar e o sentir é grande.

 

Segundo Ana Teresa Santos, actriz, esta peça tem uma particularidade.

 

“A Branca de Neve não é aquela que conhecemos dos contos infantis, nesta não existe a transparência da pureza na inocência imaculada”, explica.

 

Para Santos, apesar deste clássico fazer parte do imaginário de muitas gerações, nesta versão de Walser existe uma diferença.

 

“Neste texto os setes anões são apenas referenciados no texto da princesa, não são personagens participantes do mesmo”.

 

Conforme explica esta actriz que também participa em telenovelas como na série “Anjo Meu” exibida em 2011 pela estação televisiva portuguesa TVI, “o pensamento é a única maldade que existe nesta peça” e promete um bom serão.

Os actores agradecem o calor humano e a forma como são acolhidos pelo público nas ruas.

O seu dirigente, Paulo Lage, produz teatro infantil há cerca de 20 anos para este grupo teatral.

  1. Cubano - Roterdam

    Bezote párá de gastá dinher ma uns tiatro de retrete!! ess xulo desse joao branco qe trocá Soncent pa santiago, é um vendido qe divia sentá ma Vasco Martins ta fazé tiatro ma muzica um pa kel outo!!!!!!!!

  2. Luis Filipe Wahnon

    Essa é Branca de neve e os 7 MAMOES, ma ess joao Branco, É MAMAO PRINCIPAL!!! TEM VERGONHA! TEM DÓ!!!!!!!!!!!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.