Preocupado com as dívidas da CMP

5/09/2013 00:38 - Modificado em 5/09/2013 00:38

jcfO Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, de visita à ilha de Santo Antão encontrou-se com o Presidente da Câmara Municipal do Paul e visitou algumas localidades do município. Em termos de balanço da visita, o Presidente aponta para as dívidas contraídas pela edilidade como um dos factores que têm impedido o desenvolvimento do Paul.

 

Em entrevista à RCV, Jorge Carlos Fonseca afirma que para um município tão pequeno como o Paul “dificilmente poderá ter caminhos de desenvolvimento e motivação para gerar novos processos de criação de riqueza com o fantasma e o peso da dívida tão elevada”. Mas o Presidente da República mostra confiança que o município consiga ultrapassar este problema. Da conversa com o edil do Paul afirma que “houve pistas para a solução deste problema”.

Ainda no que tange aos problemas do município, o Presidente acrescenta à lista dos problemas o desemprego e uma necessidade de valorização dos produtos locais derivados da agricultura como a aguardente. Em relação à cana-de-açúcar, matéria-prima para fazer aguardente, afirma “parece haver necessidade de, rapidamente, se encontrar os meios para a regulação da produção e do controlo da produção”, isto para que possa haver um produto de qualidade. Espera que com esse controlo possa haver uma maior regulação da aguardente que constituiu, em muitos casos, “uma ameaça à saúde pública”.

  1. Maurino C. B. Delgad

    Para se resolver uma grande parte dos problemas de Santo Antão e não só, é preciso mudar de políticos. Passar de políticos burocratas para políticos empresários. Pelo menos experimentar.

  2. Benvindo Inocêncio

    Fala-se muito em relação ao desenvolvimento da agricultura, na valorização dos produtos agricolas, na produção de aguardente de qualidade, enfim, numa montanha de coisas que logo a primeira agricultor vê uma luz ao fundo do túnel. Na verdade, não tenho visto, sinceramente, a real política agricola que poderia trazer um “soriso na rôsto” (sou santantonense) ao agricultor. Também tratando-se da valorização do nosso Grôg de Sintantom, não acho que estão seguindo a via correcta para a sua valorizaço

  3. JC

    ESTE PAÍS ESTÁ DEVERAS A CAIR, CADA VEZ MAIS, NO RIDICULO. VEJA-SE A QUE PONTO CHEGA A PREOCUPAÇÃO DO PR COM A PRODUÇÃO DE GROGUE…COMO SE FOSSE ESSE O PRODUTO BASILAR DA ECONOMIA DA ILHA E MESMO DE CABO VERDE. ETA AÍ, CABO VERDE NO SEU MELHOR…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.