Dois guinieenses acusados de tráfico de droga de maior gravidade

2/09/2013 01:47 - Modificado em 2/09/2013 01:47

drogasO Ministério Público realizou diligências para concluir a acusação contra dois cidadãos de nacionalidade guineense detidos no Aeroporto Internacional Cesária Évora na posse de mais de um quilo de cocaína. Os indivíduos estão a cumprir prisão pelo que são acusados de um crime de tráfico de estupefacientes de maior gravidade.

 

Com a abertura do novo ano judicial, o Juízo Crime da Comarca de São Vicente vai proceder ao julgamento de dois cidadãos da Guiné-Bissau que estão indiciados pela prática de um crime de tráfico de droga. Os dois homens foram detidos pela Polícia Judiciária quando tentavam entrar na ilha de São Vicente por via aérea transportando droga.

 

No mês de Março, um dos arguidos com 33 anos vinha de Portugal e foi detido no Aeroporto Internacional Cesária Évora pela Polícia Judiciária na posse de 1,310 kg de cocaína pura. O indivíduo foi presente ao Juízo Crime que lhe aplicou prisão preventiva como medida de coacção.

 

Volvidos um mês, a Brigada de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes e Criminalidade Organizada deteve um guineense de 32 anos que transportava 1,450 kg de cocaína pura no estômago, pelo que, por determinação do Tribunal, foi encaminhado para a Cadeia de São Vicente onde aguarda a realização da audiência de julgamento.

 

Os dois arguidos vão ser confrontados pelo Tribunal sobre os indícios que apontam que traficam estupefacientes. E ainda, qual era a proveniência e o destino da droga que transportavam aquando da sua detenção. Mas este online sabe que se o Tribunal der como provados os factos da acusação, os dois homens poderão ficar na prisão para cumprir uma pena por crime de tráfico de droga e depois receberão ordem de expulsão do país.

  1. Tip Top

    depois cond pessoal manda ses boc a te dze ke malta de africa te bem pre li so bem estraga lugar que ses porcaria te parce sempre alguns te defende.

  2. Euclides Fidalgo

    Urgente rever essa questao da livre circulacao no espaco da CEDAO, depois desta abertura Caboverde passou de pais seguro para pais de alta criminalidade inemaginavel…

  3. Cândida Leite

    São incidentes como este que criam uma atmosfera de xenofobia e com carradas de razão. Os cabo-verdianos, campeões da migração na Africa continental, nunca foram levar ou buscar estupefacientes, o que vem sucedendo com os irmãos da CEDEAO que aproveitam da nossa paz para trafegar a droga e praticar actos que não praticam na terra deles. O Sanvicentino sabe que é africano e não tem complexos de côr mas não se considera igual a essa gente que o incomoda. Ê normal. Não misturem, por favor.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.