Pacientes com hérnia discal operados no HBS após anos em lista de espera

30/08/2013 04:49 - Modificado em 30/08/2013 04:49

hospital_baptista_sousa_maiorO Hospital Baptista de Sousa na ilha de São Vicente, está a realizar intervenções cirúrgicas em cidadãos que sofrem de hérnia discal. Este novo passo nos serviços de saúde do HBS começa a ser dado numa altura em que se regista o aumento do número de pessoas que estão em lista de espera a aguardar evacuação para serem operadas no exterior. Neste momento, já foram realizadas cerca de 10 intervenções cirúrgicas e cerca de 50 pessoas já passaram pelo processo de triagem.

 

Em declarações à RCV, o director clínico do HBS, Tito Rodrigues assegurou que se trata de um projecto de cooperação com o Centro Hospitalar São José de Lisboa, Portugal e que o Hospital Baptista de Sousa pretende, com essas cirurgias, diferenciar a prestação de serviços e evitar o máximo de evacuações para o exterior.

 

Tito Rodrigues sublinha que a parceria iniciou em Fevereiro quando o cirurgião luso-cabo-verdiano, Miguel Correia chegou à ilha de São Vicente para efectuar três cirurgias de hérnia discal. E que a partir desse momento foi possível estabelecer uma parceria com a criação de um programa para efectuar outras cirurgias no HBS.

 

“Neste momento, estamos a cumprir com o programa cujo objectivo é operar dez pacientes com hérnia discal numa semana e ainda fazer uma consulta prévia a cerca de 60 pessoas para analisar a sua situação. Queremos garantir que o número máximo de pessoas com esta patologia possa ser tratado aqui, por isso, queremos criar uma competência local para aprender técnicas de como fazer essas intervenções”.

 

Por seu lado, o cirurgião Miguel Correia assegura que essa parceria foi a concretização de um sonho, pois está-se a amenizar o sofrimento das pessoas com hérnia discal e sublinha que as cirurgias realizadas em Cabo Verde vão permitir diminuir o tempo de espera que os pacientes acumulam enquanto aguardam evacuação para o exterior.

 

“Nomeadamente o tempo de espera é demasiado, pelo que os pacientes fazem a junta médica e depois ficam a aguardar a evacuação. E essas cirurgias, sempre que possível, devem ser realizadas no local de residência ou num meio familiar muito bom porque há pacientes que vão para Portugal e ficam muitos anos à espera de uma cirurgia” explica o cirurgião Miguel Correia.

 

  1. Joao Lucas

    O INPS é quem podia tratar disto, pois poupava milhões com as evacuações e os doentes não ficavam tanto tempo em sofrimento.
    Parabéns Hospital BS e um agradecimento muito especial ao excelente médido e pessoa de bem, Dr. Miguel Correia.

  2. Fernado Delgado

    Temos que agradecer aos Drs.Correia.Gente boa, de bom fundo,grandes caboverdianos que lá onde vivem, estão sempre pensando em como ajudar Cabo Verde.
    Está de parabéns o HBS, que ainda não há muitos anos não tinha essa abertura.
    O serviço de traumatologia(todo seu pessoal) as pessoas que estão a frente tem dado uma grande lição de humildade e de serviço público.

    Ao INPS:
    Que girem melhor o nosso dinheiro.Aprendem com esse progarama e que invistam em parcerias com os nossos médicos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.