Morte de Sandra: autópsia confirma morte por estrangulamento

29/08/2013 07:58 - Modificado em 29/08/2013 07:58
| Comentários fechados em Morte de Sandra: autópsia confirma morte por estrangulamento

residencia onde Amarante matou Sandra_Este online apurou que os familiares da vítima não estão na posse da certidão de óbito que declara a causa da morte, mas sublinham que foram informados pelos médicos que Sandra foi estrangulada e que teve uma fractura na traqueia e várias lesões no corpo.

 

O Departamento da Polícia Judiciária está a aguardar a chegada do relatório médico elaborado pela legista que realizou a autópsia ao corpo de Sandra e que esclarece o que provocou a morte desta mulher de 26 anos. O NN sabe que nos casos de homicídio, o Tribunal baseia-se nos indícios “fortes” de crime para determinar a prisão preventiva e que concede à autoridade criminal e à Delegacia de Saúde um período que não pode exceder o tempo em que o processo está em averiguação para apresentar a causa da morte da vítima.

 

Averiguações

 

“Trata-se de uma perícia técnica para determinar o que provocou a morte da vítima e que deve obedecer a determinados critérios e ser realizada de forma cuidadosa para que não haja erros. Isto porque o relatório do exame médico vai permitir ao Ministério Público fazer o enquadramento jurídico do crime e deduzir a acusação. Neste caso em concreto, o resultado da autópsia a ser anexada ao processo vai definir se estamos perante um homicídio simples ou qualificado” assegura a Polícia Judiciária.

 

Estrangulamento

 

De certa forma, a autoridade criminal não avança com o resultado da autópsia que pode confirmar as declarações de Amarante que assumiu ter estrangulado Sandra. Por sua vez, a família de Sandra dos Santos afirma que ainda não recebeu a certidão de óbito, mas esclarece que quando as autoridades sanitárias lhe entregaram o corpo para a realização do funeral, sublinharam que a vítima foi agredida em várias partes e que tinha sinais de estrangulamento.

 

Amarante Neves de 26 anos, que está a cumprir prisão preventiva na Cadeia de São Vicente confessou em Tribunal ter praticado um crime de homicídio, porém, não avançou as razões que o levou a matar a ex-companheira.

 

Justiça

 

Augusta Monteiro, mãe de Sandra, afirma que “a minha filha decidiu romper a relação que mantinha com o Amarante, porque estava a ser vítima de violência doméstica. Ela resolveu ir buscar as suas roupas e alguns objectos à casa deste, mas antes de partirem para a habitação, o Amarante sublinhou que se não ficasse com ele, a minha filha não ficaria com ninguém”.

 

Os familiares de Sandra referem que o ex-companheiro acabou por cumprir com a palavra, pelo que quando chegaram a casa agrediu e assassinou a vítima que deixa um filho menor que está sob a guarda de familiares. Augusta Monteiro conclui dizendo “estamos a viver um momento doloroso, porque não conseguimos aceitar a forma como a Sandra encontrou a morte, quando o seu propósito era o de romper uma relação para iniciar uma nova fase da sua vida. Pelo que esperamos que justiça seja feita em relação ao responsável pela sua morte”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.