Regionalização do País : muita parra ,pouca uva

27/08/2013 02:39 - Modificado em 27/08/2013 02:39

regionalizaçãoAinda não há posição do Governo em relação à regionalização. O motivo é que o estudo encomendado pelo Governo sobre a regionalização não está pronto devido “à complexidade do tema”.

 

Em entrevista à RCV, Antero Veiga, Ministro do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território, afirma que mais vale adiar por algum tempo os resultados do estudo do que ficar aquém das expectativas existentes sobre a matéria. No momento da decisão, surgiram algumas preocupações por parte do Governo em relação ao tema o que fez adiar o estudo.

Mas Antero Veiga promete que mal receba o relatório nas próximas semanas “o Governo tornará pública a sua posição”. Admite que este é um tema que necessita de diálogo e de formação de consensos. O Governo tem na agenda eventos de âmbito nacional para criar consensos entre as várias posições sobre a regionalização em Cabo Verde.

Sobre o tema em São Vicente o grupo de reflexão sobre a regionalização tem feito a sua parte no que consiste em levar o tema para o debate público. Tem promovido várias acções como palestras, campanhas de consciencialização e outras acções para dar a conhecer os benefícios da regionalização para o país. Numa entrevista ao NN Camilo Abu Raya, um dos integrantes do grupo afirmou que “há vários motivos para acreditar que a regionalização vai beneficiar Cabo Verde”. Este grupo tem sido uma voz activa pró-regionalização.

Às antenas da RCV, Antero Veiga afirma que ainda nada está decidido relativamente

  1. creola

    NÃO QUEREM É PERDER A CHENCE DE CONTINUAR TRIPUDIANDO DOS SAMPADJUDOS, O QUE VEM DANDO-LHES VOTOS DOS BADIOS QUE ODEIAM ESPECIALMENTE OS SAMPAS.

  2. De Santo Antão

    Porque não reformular a questão e fazer a pergunta directa aos inquiridos: “Você de São Vicente, porque razão não participa em manifestações? Tenho plena certesa de que muitas pessoas lá porque não curtem o mindelense responderam de forma a influênciar o resultado optando pela pior resposta. Se saissem as ruas de mindelo com papelinhos e uma pequena urna e fizessem esse inquérito seria melhor ainda porque não se correria o risco de ter votos de pessoas de outras ilhas. REVER PERGUNTA E METODO.

  3. De Santo Antão

    Eu participei do inquérito mas não sou Mindelense. Por acaso não escolhi a pior resposta porque acho que poderia ser qualquer das outras. É claro que as pessoas das outras ilhas vêm o mindelense como parodiento e acabam por votar nesta opção mas que no fundo não transmite a opinião dos mindelenses mas sim dos outros.
    A FORMA DE FAZER AS PERGUNTAS E O MÉTODO UTILIZADO NO INQUERITO^INFLUENCIAM O RESULTADO SIM!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.