Um motor da economia local

21/08/2013 01:46 - Modificado em 21/08/2013 01:46

laginhaA Câmara Municipal aposta numa visão integradora da área da praia da Laginha na economia local. Na área da Laginha tem-se registado um aumento de tráfego de pessoas, sendo um dos locais mais procurados da ilha durante o Verão. A área é convidativa tanto pela praia como pelos bares e restaurantes, muitas vezes com noites cabo-verdianas.

 

O Vereador da Câmara Municipal, Humberto Lélis, enaltece as características da área como ponto estratégico da economia mindelense com várias unidades hoteleiras, restaurantes e bares e, sob esta perspectiva, surge a necessidade da Câmara Municipal de “dar toda a cobertura e realizar investimentos” para que a área possa ser o mais bem explorada possível.

 

Parques de estacionamento, como sublinha o vereador, têm sido as obras da edilidade no espaço como forma de “criar condições para que as pessoas possam frequentar a área e fornecer não só aos comerciantes como também às pessoas as condições necessárias para frequentar a praia”. Uma das regras adoptadas pela edilidade de forma a facilitar a circulação de pessoas e viaturas é a proibição do estacionamento de carros na Laginha no período diurno. A Câmara já criou alguns parques de estacionamento e com o calcetamento da zona perto da rotunda de Chã de Alecrim espera-se criar mais espaços.

 

Em termos de praia, o vereador adianta que a Câmara está à espera da conclusão das obras para poder saber como intervir. Garante uma atenção particular a esta zona devido à importância que representa para a economia local.

  1. fernando fortes

    Pobre Lélis.Parques de estacionamento?Onde? A Câmara fez 1 parque.
    A laginha pelo movimento que tem,pode-se considerar abandonada.
    As vendedeiras de balaio e porcaria que deixam.
    Está Câmara,em matéria de agir para por ordem,não existe.

  2. angelo goncalves

    Tratando-se de um motor de economia de São Vicente devia ser acarinhada em termos de limpeza publica. Com a afluência de gente aquele local deviam ter pessoas a limpar a praia pelo menos 2 a 3 vezes por dia. e a segurança policial devia ser permanente.

    Uma praia dessa tão pequenina não dá para permitir jogo de futebol, como vi ontem a tarde, com balizas grandes (balizona) e os jogadores a rematar com muita força, incomodando os banhistas. Temos que pensar Laginha, nossa praia de coração.

  3. Miguel

    Humberto Lélis e a equipa da CMSV estão a fazer um óptimo trabalho em prol do desenvolvimento de SV.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.