Quantos cálices de grogue atingem a taxa de 0,8g/l ?

13/08/2013 03:05 - Modificado em 13/08/2013 07:50

shot alcoolOs condutores que irão ao Festival da Baía das Gatas vão ser controlados pelo bafómetro. Por isso, alguns querem saber quantos cálices de grogue, ponches, whiskies, cervejas ou outras bebidas alcoólicas podem beber sem atingirem o limite permitido. Porém, a Polícia Nacional deixa-lhes um recado: “para evitarem constrangimentos com o Tribunal optem por não beber, porque seremos rigorosos”.

 

A Polícia Nacional dará tolerância zero aos condutores alcoolizados que transitarem pelo Festival da Baía das Gatas. A lei do álcool vai vigorar nas estradas de acesso à Baía das Gatas, com a utilização do bafómetro, pelo que a PN promete não dar trégua aos condutores que conduzirem com uma taxa de álcool no sangue superior a 0,8 g/l.

 

Neste sentido, o NN contactou alguns condutores para saber a opinião deles sobre a decisão do Comando da Polícia Nacional de São Vicente. Os entrevistados dizem-se satisfeitos com a decisão da PN, porque há vários anos que pediam a utilização do bafómetro durante o festival.

 

Os condutores sublinham que durante o festival, muitos condutores consumiam grandes quantidades de bebidas alcoólicas e esqueciam-se dos riscos de condução sob o efeito do álcool. E que a polícia tinha dificuldades em controlar o álcool devido à inexistência desse aparelho em São Vicente.

 

Para o taxista José Alves, a história mudou de figura com a entrada em vigor da lei do álcool. José afirma que “é bom que a Polícia submeta as pessoas que vão conduzir durante o evento a um teste de alcoolemia, porque sabemos que há cidadãos que se esquecem das suas responsabilidades na estrada”.

 

Por seu lado, Mariano Lopes e Armindo Oliveira asseguram que a utilização do bafómetro por parte da PN vai implementar o civismo nas estradas de acesso à Baía das Gatas.

 

Os dois condutores de Hiace acrescentam que “podemos beber um cálice, mas não em excesso porque o festival é feito de alegria e não de mortes. Por isso, quem estiver ao volante terá que respeitar a vida das outras pessoas, porque a PN já sensibilizou os motoristas sobre a lei do álcool. E agora, quem passar por cima das normas vai sofrer as consequências”.

 

O NN apurou que alguns condutores estão com dúvidas sobre a utilização do bafómetro, por isso, estão a recolher informações junto da Polícia Nacional para saberem quantos cálices de grogue, ponches, whiskies, cervejas ou outras bebidas alcoólicas podem beber durante o festival. Mas este online sabe que a PN defende que “dois a cinco cálices podem ser cruciais para haver uma infracção. E como o plano de controlo vai ser rigoroso aconselham a abstinência do álcool durante a condução”.

  1. Fiat lux

    Acho que não é fácil determinar a quantidade de álcool que cada pessoa deverá ingerir para que o teste acuse o limite, pois há muitas variáveis que entram no jogo do cálice. Cada pessoa é um mundo à parte, cada organismo absorve e trata o álcool de forma diferente. Melhor mesmo é não beber se vai conduzir, pois uma viatura nas mãos de uma pessoa sob efeito de álcool pode até ser considerada uma nave espacial e é aí que mora o perigo. Please, não beba se vai conduzir.

  2. Silvério Marques

    O melhor é não beber nada. A taxa de álcool no sangue depende da idade, índice de massa corporal e o estado de saúde do consumidor. Duas cervejas de 0,25 dão cerca de 0,4, quase o limite. Já duas cervejas de 0,33 dará uma taxa de 0,6. Isto para um homem de boa saúde, com 1,75 m. de altura e 76 Kgs.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.