Vitimas de violência urbana: foi socorrer a avó e ficou durante anos numa cadeira de rodas

9/08/2013 08:05 - Modificado em 9/08/2013 08:05

imagesLuís Gomes de 23 anos, foi vítima de uma agressão que o deixou com um trauma para sempre e que, por alguns meses, o atirou para uma cadeira de rodas. Tinha, então, 20 anos quando foi agredido por um rapaz com uma chave de fendas na cabeça. Gomes ficou com uma cicatriz, fruto do acidente em que o agressor optou pela violência, em vez de aceitar ter perdido “uma luta de braços. “

 

O NotíciasdoNorte continua a descida ao inferno das vítimas de violência urbana na ilha de São Vicente. Luís Gomes foi agredido em Outubro de 2010, na zona de Monte Sossego. Segundo a vítima, o caso ocorreu porque o agressor pretendia roubar um telemóvel à sua avó e, ao evitar o assalto, envolveu-se numa briga com o larápio.

Mas, Luís retrocede no tempo para explicar em que circunstâncias sucedeu o ataque. O jovem, que reside em Monte Sossego explica que “eram por volta das 19 horas, numa altura que eu estava sentado à porta da minha casa. A minha avó estava a poucos metros da nossa residência a conversar com uma vizinha e, de repente, foi surpreendida por um indivíduo que a ameaçou de morte, caso não entregasse o telemóvel que tinha nas mãos”.

Trauma

O jovem sublinha que ao socorrer a avó, o indivíduo respondeu com um empurrão e, a partir desse momento, envolveram-se numa briga. Luís Gomes recorda que durante a luta aplicou alguns golpes ao gatuno que, na altura dos factos tinha 18 anos e que residia em Fonte Francês.

Mas o pior estava por vir quando o imbróglio foi sanado por moradores que accionaram a Polícia Nacional. O entrevistado afirma que “os vizinhos tentaram acalmar os ânimos e, inconformado, o indivíduo aproveitou-se do facto de estarmos numa zona de fraca iluminação e agrediu-me com uma chave de fendas na cabeça, atingindo-me num nervo temporal”.

 

Paralisia

Luís ficou inconsciente pelo que foi transportado ao hospital onde ficou internado durante 50 dias. Os médicos viriam a revelar à família que ele não apresentava sinais de movimento no corpo e que, por algum tempo, o jovem ficaria dependente de uma cadeira de rodas.

 

Justiça

A família de Luís Gomes apresentou uma queixa contra o agressor que viria a ser julgado pelo Tribunal da Comarca de São Vicente em 2011 e condenado a uma pena de seis anos e oito meses de prisão. E hoje, com 23 anos, apesar de apresentar algumas deficiências no corpo, Luís já se conseguiu libertar da cadeira de rodas, na medida que com a ajuda de familiares e amigos abraçou um projecto de reabilitação na cidade da Praia. Mas assegura que as lembranças daquele dia violento não se apagam da sua memória.

 

  1. luis

    Com fé em deus, ele vai ficar sem nenhuma sequela desse trauma, e ele vai poder andar e fazer tudo sem nenhum problema.

  2. Bravo pela sua recuperação Senhor Luis, agora o que se deve fazer! é esquecer do acontecido, faça tudo para esquecer, a gente não se deve vivenciar as coisas desagradáveis, o que já passau já passau, já é uma história, faça todos os possíveis e os impossíveis para esquecer isso, através da vida prática, ler um bom livro, pratica o desporto, faça conviver com amigos e, esquecer as coisas não lhe leva a sua nobreza. Como dizem os Brasileiros bola para frente! força Luis.

  3. castanhinha

    oh sampadjudos gosta txoma badiu di malcriado mas djes vira ta fasi tudo mas pior inda mas cu ques cupa di ze catana

  4. Snap

    Castanhinha vai dar banho ao cao

  5. chris

    Ate agora ninguem falou de sampadjuda ou badio. Simplismente um pobre rapaz criolo agredido e sofrendo. JA E TEMPO DE PARA DE PENSAR COMO DOIS POVOS MAS COMO UM SO !!!!!!!!!!!!!!!!

  6. SAMPAS

    CASTANHINHA TENS A MENTE CASTANHA NÉ!!?? SAMPAS QUI TA MATA NHOS VIDA… ATE PARECE. VAI SENTAR NO ALTO MAR PA VER SE ATINAS ESSE CEREBELO FRACO!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.