CRE diz que havia cópias de BI de pessoas mortas no processo de Alcindo Amado

30/05/2012 07:26 - Modificado em 30/05/2012 07:26

A Comissão Regional Eleitoral (CRE), em São Vicente, através do seu presidente Humberto Mota, refutou todas as críticas feitas por Alcindo Amado depois do Tribunal de São Vicente não ter aceite a candidatura do Movimento Independente para Inovação e Desenvolvimento de S. Vicente (MIIDSV),

 

No comunicado escrito pelo líder do MIIDSV onde explica as razões que levaram o tribunal a rejeitar a sua candidatura disse que a CRE “negou passar a referida certidão alegando que a lista de cidadãos devia dar entrada na referida Comissão acompanhada das fotocópias dos bilhetes de identidade”. Humberto Mota afirma que nas questões eleitorias toda a sensibilidade é pouca. E torna público alguns itens no processo da candidatura do MIIDSV.“Pessoas que não tem capacidade eleitoral activa e outra com assinatura em mais de uma relação e o mais grave estavam entre as cópias a do bilhete de identidade de uma pessoa já falecida”.

 

Por isso o presidente da CRE considerou que não houve “seriedade na recolha as cópias dos BI’s”. E quando se trata de questões eleitorais, para Humberto Mota, “a tolerância deve ser zero : doa a quem doer ”.

Amado acusou a CRE de condicionar a emissão da certificação com as referidas fotocópias, sem apontar a base legal. Humberto Mota defende afirmando que a CRE não pode expor qualquer nome de e qualquer cidadão sem que este dê o seu consentimento e que é garantido pela confrontação dos dados das pessoas do bilhete e a base de dados do recenseamento eleitoral e a assinatura na declaração de apoio.

  1. Apolinario

    Imaginem só…o homem que dizia que vinha para acabar com a corrupção na camara municipal de sao vicente começa por apresentar a sua candidatura em moldes corruptos…

  2. João Paulo

    Para alguem que vinha levantando bandeira da moralidade, prometendo limpeza na camara, isto é muito mau. mais uma vez ve-se como muitos políticos são.

  3. Manuel Calado

    Um candidatura que recorre a este tipo de processos é capaz de recorrer a tudo se for eleita.

  4. CP

    Ele aprendeu com o PAI o sistema de mortos votantes.

  5. José da luz Gonçalve

    Não foi o Sr. Alcindo Amado a recolher, pessoalmente, todas as assinaturas e fotocópias de BI. Será que havia alguém do MPD infiltrado no seu staff para fazer esse trabalho e prejudicar a sua candidatura. O Amado não recorria a este método. Eu o conheço muito bem e ele jamais recorria a este método. Garantidamente a culpa não é dele.

  6. José da luz Gonçalve

    Trabalho pemeditado do MpD. Conseguiram infiltrar e colocar o veneno na candidatura do Sr. Alcindo Amado. Tudo isto é possível com os militantes desse partido de ladrões e sem vergonha. Em 2016 o Sr. Amado vai ter muito cuidado em deixar pessoas do Mpd aproximar da sua candidatura.

  7. Teodoro Correia

    Uma pergunta interessante! Alguém introduziu o nome de alguém falecido no processo de recolha de assinaturas desta candidatura. Os leitores sabem que dois dias antes do termino do prazo para entrega dos documentos no tribunal, dez (10) elementos abandonaram as listas do Sr. Alcindo Amado. Eles eram todos MpD. Estava tudo planeado para destruír esta candidatura. Essa gente desse partido não é de confiar, seja lá quem for.

  8. Teodoro Correia

    Não se preocupe sr. Alcino Amado. Fique tranquilo porque sabemos que foi sabotagem dos ladrões do Mpd. Eles são piores que mil pés.

  9. Nando Fortes

    O Sr. Amado confiou demais. Da próxima vez esteja atento a que delega determinadas responsabilidades. O seguro morreu de velho e o desconfiado ainda está vivo.

  10. Alcindo Amado

    Eu sempre levantei e continuo a levantar a bandeira da legalidade, num combate sem tréguas, à corrupção instalada na Câmara Municipal de São Vicente. Em relação à alegada fotocópia de B.I, e inscrição de alguém falecido na lista dos proponentes da minha candidatura, está mais que claro que foi alguém enviado pelo MpD para infiltrar no meu staff e introduzir o nome e a fotocopía do tal B.I no dossier entregeu na CRE, para certificação. Não tenho qualquer dúvida sobre esta sabotagem.

  11. Alcindo Amado

    Em relação às afirmações do sr. presidente da CRE, em são Vicente, acho que ele devia ter mais um pouco de ética profissional. Ele mandou emitir certidões para os proponente recenseados. Se realmente encontrou nome de alguém falecido inscrito na lista de proponentes, devia ser mais sigiloso e comunicar por escrito ao requerente das certidões, e devolver as listas e fotocópias não certificadas. Se esses documentos foram rejeitados, deviam ser devolvidos ao requerente.

  12. Alcindo Amado

    Mais ainda esclareço que não é da competencia do sr. presidente da CRE, em S.Vicente, comparar nem reconhecer assinaturas. Isto é da competência do Notário Público. Ademais, a CRE não dispõe de pessoal qualificado ( Calígrafos) nem de tecnologia apropriada para certificação de assinaturas. O sr. presidente da CRE ultrapassou a sua competência, e prejudicou intencionalmente a candidatura do MIIDSV. As competências da CRE devem ser claramente defenidas pela CNE. Este incidente ainda não terminou .

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.