Tolerância zero para o não cumprimento das leis nas praias

8/08/2013 03:45 - Modificado em 8/08/2013 03:45
| Comentários fechados em Tolerância zero para o não cumprimento das leis nas praias

policia maritimaO comandante da Polícia Marítima na ilha de São Vicente, João Santos, garante que as autoridades vão agir caso os cidadãos não respeitem as leis marítimas ligadas à utilização das praias. Por outro lado, João Santos apela às empresas que realizam actividades nas praias da ilha de São Vicente para não promoverem o consumo de álcool nesses locais.

Em declarações à RCV, o comandante da Polícia Marítima assegurou que a Polícia Nacional tem em curso um plano que envolve as unidades que compõem a PM no sentido de fazerem a vigilância das praias na ilha de São Vicente.

“A começar pela praia da Laginha, Cova de Inglesa, Baía das Gatas, ainda fazemos patrulhas na Praia Grande, Santo André, Saragaça e Calhau. Para que o plano seja exequível é preciso que haja meios humanos e materiais, ou seja, meios de mobilidade que consubstanciam todo o terreno” sublinha João Santos.

Segundo o comandante da PM há instruções para se fazerem patrulhas com as bicicletas da Polícia Nacional e que para além de contar com uma embarcação, o Comando da Polícia Marítima está a aguardar a chegada de um jet-ski para o patrulhamento das praias.

Para a praia da Laginha, as patrulhas decorrem durante toda a semana das 14 às 19 horas e, as outras praias, como a da Cova de Inglesa recebe patrulhas móveis e, aos fins-de-semana, os olhares voltam-se ainda para a Baía das Gatas e as outras praias que se situam no litoral da ilha.

Por outro lado, João Santos chama a atenção dos indivíduos que praticam desportos náuticos na Laginha no sentido de garantirem a segurança das pessoas que frequentam esse espaço.

“Apelamos aos praticantes dos desportos náuticos para não se fazerem ao espaço reservado aos banhistas, isto, porque temos constatado algumas pranchas, embarcações e jet-skis nesse local. Há um corredor devidamente assinalado na Laginha com bóias onde quem pratica desportos náuticos tem a possibilidade de sair para fora da zona de banhistas de modo a não perturbar ou a criar condições para acidentes” conclui o comandante da Polícia Marítima.

 

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.