Quando tudo passa pela falta de trabalho

2/08/2013 01:43 - Modificado em 2/08/2013 01:43

fotografia5Vila Nova – Lombo Tanque, mais especificamente atrás de Je t’aime, assiste ao incremento da comunidade que vem construindo as suas casas nas ladeiras por baixo d’Cruz de Papa. Uma comunidade preocupada com as dificuldades que o seu dia-a-dia tem apresentado e que está à espera de melhores dias.

 

O desenvolvimento na zona é visto a olhos nus e confirmado pelos moradores. O desenvolvimento demora a chegar. A falta de emprego é o problema geral que afecta a comunidade e que todos lamentam e esperam que possa ser feito algo para reverter a situação.

Francisco, morador na zona, diz que há mais de seis meses que está sem trabalho e que a sua situação é precária, principalmente, “quanto tem responsabilidades para com a família”. Hoje fui ver e não encontrei nada e estou aqui a pensar onde ir para encontrar alguma coisa”, explica Francisco que ainda alimenta a esperança de conseguir alguma coisa. Rosa Leandra, outra moradora da zona, revela a sua situação de dificuldade no que tange ao emprego. Como explica, o trabalho que exerce é de lavar roupas e limpar casas. “Trabalhos simples”, como Rosa classifica, mas que ajudam a manter a família. Manuel, por sua vez, trabalha como ajudante de camião e revela que neste momento a situação para a sua classe é difícil. Estas e outras situações na zona levam os moradores a afirmarem que “a situação é difícil”, e nem o mais optimista consegue vislumbrar uma melhoria numa situação que afecta a comunidade.

Uma zona construída nas ladeiras de Cruz de Papa e que junta a sua lista de problemas à questão da iluminação publica e do saneamento básico. A zona, como revelam os moradores, nem sempre foi pacífica sendo lugar de batalhas de grupos rivais de jovens. Mas as pessoas que moram aqui elogiam o trabalho das autoridades que conseguiram estancar o problema. Para Francisco “sem a acção das autoridades não seria possível”.

Apesar do elogio às autoridades, toda a população espera que seja feito mais em prol da comunidade. Os moradores, como Manuel, reconhecem que é difícil arranjar trabalho para todas as pessoas, mas sentem que “se os políticos quiserem e se esforçarem arranja-se trabalho para todas as pessoas”.

 

 

  1. leandra

    Francamente. Esta noticia nao tem pés nem cabeça. Até parece que o autor està em vias de aprender a escrever. Por favor poupem os leitores!!!!

  2. UVID IMPE

    LEANDRA ESSE NOTICIA KA TEM PÉ NEM CABEÇA PA BÔ K CERTAMENTE TT VIVE SENTOD DEBAIXO DE SOMBRA DE BANANEIRA,OU BÔ T SENTOD NUM GABINETE FRESKIM T CURTI BÔ AR CONDICIONADO E TA VIVE SEBIM NA CUSTA DO ESTADO.Ê PARASITAS MODA BÔ Ê K T TXA SÃO VICENTE BAI PA FRENTE.EXE MORADORES TT PDI SIMPLESMENTE TRABOI PAXE TEM UM VIDA DIGNO MODA BÔ.

  3. SAMPAS

    E COM MUITA TRISTEZA CUM TE OIA UMNOTICIA DE NHA ZONA ONDE KUN NASCE E CRIA ATE NHAS 18 ONE. LEANDRA SE PA IS COMENTARIOMS VALE BO SENTA TE FAZE RENDA ASIM BOK TE TRANNGUEM E SERIO. LA TEM TXEUGENTE HUMILDE E ONESTO. POBREZA CA E SINONMO DE LADROM OU BANDID. PRESTA ATENÇAO PA VIDA DFAVOR.. UM TE AMA VILANOVA E NHA GENTE DE LA TAMBE, LA TAMBE NHA MAE PASSATXEU APERTO PA CRIA NOS . FORÇA PESSOAL

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.