Cidadão francês foi morto com golpes de uma manivela

29/05/2012 01:11 - Modificado em 29/05/2012 01:27

As causas da morte do cidadão francês, Jose Pelatz, de 69 anos poderão estar relacionadas com os golpes de uma manivela que levou na cabeça. A autópsia ainda não foi realizada, porque as autoridades estão a espera da chegada do médico legista. Mas de acordo com o exame externo realizado ao corpo este apresentava lesões no corpo com incidência na cabeça.

 

O NN apurou que o corpo do cidadão, francês, Jose Pelatz, de 69 anos assassinado nos estaleiros da ex Onave, ainda não foi transladado para à França. Segundo informações colhidas na Polícia Judiciária aguarda-se a chegada de um médico legista, da cidade da Praia para realizar a autópsia.

De acordo com a PJ até o momento foi realizado um exame externo ao corpo do cidadão para se conhecer as lesões exteriores visíveis que podem indiciar as causas da morte. Porém a polícia científica reitera que será a autópsia que irá precisar o móbil directo da morte de Jose Pelatz. Depois que for realizada a autópsia, as autoridades criminais irão libertar o corpo de Jose Pelatz, a família através do Consulado Honorário de França, em Mindelo.

Por outro lado apuramos que a vítima chegou inanimada ao Hospital Baptista de Sousa e apresentava lesões no corpo, especialmente cortes profundos na cabeça provocados por uma manivela utilizada no arranque de iates. Segundo a PJ os autores do crime fizeram o uso desse equipamento para agredir a vítima.

Recorde-se que o caso aconteceu na madrugada, de quinta-feira, 24 e no dia seguinte a Polícia Nacional efectuou diligências que culminaram na detenção de três indivíduos, bem como recuperaram um computador portátil, três telemóveis e uma quantia em dinheiro que estava na posse dos suspeitos.

Os três suspeitos foram presentes ao Segundo juízo Crime da Comarca de São Vicente, na manhã de sábado, 26. O juiz de instrução decretou prisão preventiva para dois dos três indivíduos suspeitos do assassinato. Um dos suspeitos ficou em TIR, termo de identidade e residência, porque a PJ não conseguiu provas que ele esteve no lugar do crime. Quanto aos outros dois o juiz considerou que existem indícios que os liga ao crime.

  1. Joaquim ALMEIDA

    Mindêlo , a segunda cidade de Cabo Verde , nao ter um médico legista que possa assumir a verificaçao de – casos como este – e estar à espera que venha um médico da Praia , apos uma semana que o crime foi cometido ?.. E caso estranho !..
    Um Criol na frânça ; Morgadinho !..

  2. Ajax!

    Não há médico legistas? Too Bad!

  3. MLS

    É uma vergonha o que estamos a viver aqui em S. Vicente.

  4. Bruno Rocha

    prezados, o termo autópsia é usado de forma errada pra designar o exame ao cadáver. Auto- significa em si mesmo, prórpio, e psia termo latino que designa exame, logo. autópsia seria um autoexame, e se tratando de um cadáver, o termo correto seria necropsia, pois necros é morto, assim sendo , exame no morto/cadáver.Mas a culpa não é vossa, mas sim da mídia em geral, televisão, nomeadamente filmes e seriados , telejornais, etc…, que por falta de conhecimento técnico comete esse erro grotesco

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.