ASA pede apoio da Guarda Costeira para garantir a segurança do AICE

31/07/2013 07:23 - Modificado em 31/07/2013 12:18

ASA_Cabo-verdeOs custos do sistema de infravermelho e do sistema de videovigilância têm impedido a ASA de dotar os aeroportos de Cabo Verde de melhores condições de segurança. Porém, com a colocação de novas pedras na pista do Aeroporto Internacional Cesária Évora, a ASA decidiu reforçar o trabalho dos meios humanos e solicitar o apoio das Forças Armadas para impedir novos incidentes.

 

A segurança do Aeroporto Internacional Cesária Évora foi reforçada depois de terem sido encontradas mais pedras na pista desse aeroporto. João Monteiro, assessor de segurança da ASA em declarações à RCV, afirmou que todas as entidades envolvidas na segurança dos aeroportos em Cabo Verde estão a rever os seus planos para impedirem situações dessa natureza.

 

Para as autoridades criminais, apesar de ainda não terem identificado os autores dos actos no AICE, não há duvidas que se trata de “mão criminosa” e que as pedras foram colocadas por indivíduos que conhecem as rotinas do aeroporto, uma vez que no Aeroporto Internacional Cesária Évora não existem câmaras infravermelhas, equipamentos capazes de detectar movimentos em locais de fraca iluminação ou em zonas “escuras”.

 

O assessor de segurança da ASA, João Monteiro diz que esta tecnologia já foi equacionada a nível nacional, mas o seu custo impede a aquisição desses equipamentos.

 

Sistema de vigilância

 

“Pelas avaliações logísticas feitas anteriormente, nunca se optou por fazer esse investimento, porque o sistema infravermelho é caríssimo. E agora, precisamente, estamos a fazer o upgrade do sistema de videovigilância nos quatro aeroportos internacionais mas, neste momento, tendo em conta novamente o valor do investimento que ronda os 98 mil contos, ainda não estamos a falar de câmaras com sistema de vigilância infravermelho” assegura João Monteiro.

 

Medidas

 

Mas enquanto não surgem recursos financeiros para a implementação de um desses sistemas de vigilância nos aeroportos de Cabo Verde, a ASA garante que face aos acontecimentos na ilha de São Vicente estão-se a fazer melhorias no sistema de segurança a partir de pontos chaves.

 

“Aqueles pontos de visibilidade mais privilegiada, como as torres de controlo do tráfego aéreo que dão a visibilidade quase que geral do aeroporto, as torres de vigilância dos Bombeiros que também permitem ver algumas áreas do aeroporto” afirma o assessor de segurança da ASA.

 

Apoio

 

João Monteiro sublinha que para reforçar a segurança do AICE serão realizadas patrulhas ao longo da vedação, a serem feitas pelo Corpo de militares da Guarda Costeira que está instalada no antigo edifício do terminal do Aeroporto de São Pedro.

 

“Foram emitidas orientações directamente ao Estado-Maior das Forças Armadas, nomeadamente à Iª Região Militar e à Guarda Costeira para apoiarem o Aeroporto Internacional Cesária Évora com a realização de patrulhas e outras acções para a protecção do aeroporto. E estender as inspecções pelas pistas e os caminhos de circulação, isto é, quinze minutos antes de cada aterragem e de cada descolagem no período diurno e nocturno e todas as operações passam a estar cobertas por esta medida e este procedimento” declara o entrevistado.

 

  1. CidadaoCV

    Ora aí está …. Os aeroportos internacionais em Cabo Verde não têm sistema de vídeo vigilância porque é “caríssimo”. E agora pergunto: É mais caríssimo do que uma vida humana?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.